A temporada dos festivais está aí à porta e começa já esta semana com o NOS Primavera Sound, no Porto, antes de se estender pelo verão fora e percorrer o país praticamente todo. Quer seja uma principiante nestas andanças ou já uma festivaleira da casa, há uma série de recomendações a ter em conta, uma vez que um festival significa estar fora por longos períodos de tempo no calor, com acesso limitado a comida decente, muita poluição, multidões de pessoas, falta de chuveiros, pouca rede e, acima de tudo, pouco sono. Preparámos um guia com tudo o que tem de saber e fazer para aproveitar um festival ao máximo e, no fim de contas, sobreviver por lá.

1. Leia as regras no site do festival

Sim, por mais cliché que isto seja. Só para não chegar lá e ser confrontada com alguns contratempos que não planeou. Enquanto o NOS Primavera Sound tem uma zona para pais e filhos, onde pode repousar com as suas crianças ou deixar os carrinhos em segurança, o NOS Alive já não tem, mas vai contar com uma tenda especial para grávidas com serviço de enfermaria permanente. Se está a pensar levar uma marmita, o MEO Marés Vivas proíbe a entrada de qualquer tipo de alimento ou bebida e o MEO Sudoeste não deixa entrar animais. Os selfie stick? É melhor ficarem em casa — os principais festivais internacionais, como o Coachella ou o Lollapalooza, proibiram a sua entrada e por cá a moda pode pegar.

2. Leve um carregador de bateria portátil

Vai querer filmar, vai querer tirar selfies, vai querer mandar snapachats para os seus amigos e colocar. 10 fotografias por dia no Instagram. E antes de ter tempo de fazer isso tudo, vai ficar sem bateria. Por isso, leve um daqueles carregadores portáteis que são pequenos. Pode guardá-los na mala e vão salvar-lhe a vida a meio do dia.

3. Crie algumas regras com os seus amigos

No meio da multidão, é muito fácil uma pessoa perder-se. Por isso, há algumas regras básicas que pode, e deve, adotar. Escreva o número de telefone dos seus amigos num papel e guarde-o no bolso ou na mala, para os conseguir contactar caso aconteça alguma coisa, como perder o telefone. E combine com eles pontos de encontro. Se todos os outros passos derem para o torto (sem bateria, sem telemóvel e sem números de telefone escritos num papel), isto pode ser o vosso salvamento. Não se esqueça que a rede costuma ser péssima nos festivais e fazer chamadas ou enviar SMS pode ser uma tarefa complicada.

4. Prepare os looks sem esquecer o conforto

Todas vimos as fotografias das celebridades e bloggers no Coachella com vestidos brancos de renda esvoaçantes, botas de cowboy ou mini saias justas. Se tivéssemos acesso a todas as áreas privadas do recinto e motoristas para nos levarem, à noite, para um quarto de hotel, também nos poderíamos vestir assim. Mas como não é o caso, o melhor é dar ao look de festival um nova abordagem. Use mochilas ou malas que possa colocar ao ombro, para ter as mãos livres; peças confortáveis e que sejam fáceis de lidar durante o calor e facilmente transportáveis para usar à noite, como vestidos, casacos largos, t-shirts e calções (não queira ir de skinny jeans para depois perceber que não se consegue sentar no chão); e botas ou sapatos rasos que não se estraguem no meio do pó e da lama ou que sejam confortáveis para estar de pé durante horas (não vá de sandálias para depois sofrer com a multidão a pisar-lhe). Eis as nossas sugestões:

14 fotos

5. Planeie bem a sua agenda

No conforto da nossa casa é fácil pensar (e acreditar) que vamos conseguir ver tudo o que queremos e saltar de palco em palco. Mas no pico do verão e a passar horas de pé no meio da multidão, ao sol durante o dia e ao frio durante a noite, este plano é, na verdade, muito difícil de conceber. Planeie bem a agenda, veja os concertos que mais lhe interessam e tire algum tempo, entre atuações, para descansar à sombra e sentada.

6. Lembre-se: água, água, água

Carregar uma garrafa de água pelo recinto do festival pode ser chato, é verdade, mas é absolutamente obrigatório. A desidratação, as insolações e as hipertermias são as lesões mais frequentes nos festivais e não queira perder o seu concerto favorito só porque não lhe apeteceu andar com uma garrafa de água e se sentiu mal a meio da tarde. E mais: não substitua água por álcool. Este último desidrata o corpo, portanto é pior beber álcool no calor do que não beber nada. Deixe os copos de cerveja para a noite e, durante o dia, beba água, água, água.

7. Estude as regras dos acampamentos

Se for acampar no festival, deixe todos aqueles bens que não quer perder por nada deste mundo em casa. Botas caras, malas de marca ou óculos de sol vintage que custaram três dígitos são exemplos disso. Vá com antecedência, para conseguir apanhar um bom lugar, leve tampões de ouvidos para conseguir dormir e marque a sua tenda (com uma fita fluorescente ou uma bandeira) para a conseguir encontrar quando, de madrugada, chegar ao parque de campismo eventualmente um bocadinho alegre demais. Colocar um cadeado pode parecer mais seguro mas, na verdade, só vai passar a ideia de que tem qualquer coisa de valioso dentro da tenda e aumentar as probabilidades de a rasgarem e assaltarem.

8. Tenha alguns cuidados básicos

E por cuidados básicos entenda-se muito protetor solar e sempre com filtro FPS 30 ou 50. No pico do calor e em grandes arenas abertas como nos festivais, não é preciso passar muito tempo ao sol para se ficar gravemente queimado. Outros produtos obrigatórios incluem óculos de sol para proteger os olhos, chapéu se for ficar horas na primeira fila à espera da sua banda favorita e toalhitas desinfectantes ou antibacterianas para limpar as mãos antes de comer e depois de ir às casas de banho (socorro!) portáteis.

Dito isto, entre no espírito dos festivais, seja simpática para toda a gente, não tente furar as filas, não diga que está à procura dos seus amigos quando, na verdade, apenas está a furar para chegar mais perto do palco e não deixe de viver os momentos à espera de conseguir tirar aquela fotografia perfeita para o Instagram correndo o risco de, com isso, perder metade da sua música favorita com o telefone no ar.