Vários sindicatos representativos dos trabalhadores da rodoviária Carris, em Lisboa, agendaram uma greve para 15 de julho e exortaram outras empresas do setor para se juntarem à luta contra as subconcessões determinadas pelo Governo. O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITRA) vai também avançar com um pré-aviso de greve para o Metropolitano.

De acordo com Sérgio Monte, do SITRA, afeto à UGT, a greve foi marcada por estruturas sindicais que representam 80% dos trabalhadores da Carris para 15 de julho, por ser a data apontada como referência para a assinatura dos contratos das subconcessões da Carris e do Metropolitano.

O sindicalista convidou todos os sindicatos das empresas envolvidas em processos de subconcessões ou de privatizações a convergirem num dia de greve do setor.

Os resultados preliminares do concurso internacional para a subconcessão da Carris e do Metropolitano de Lisboa – que aponta para a entrega ao grupo espanhol Avaznza – foram anunciados pelo Ministério da Economia na sexta-feira.

Na ocasião, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, explicou que a escolha do grupo espanhol Avanza implicaria que o Estado conseguiria uma poupança anual superior a 25 milhões de euros e mais de 215 milhões de euros durante o período de concessão, que é de oito anos.