Foi um americano o responsável pela morte de Cecil, o maior leão e mais importante do Zimbabué, noticia o Telegraph. Chama-se Walter Palmer e é um dentista do Minnesota que terá pago 49 mil euros para disparar com arco e fecha contra o leão alfa mais fotografado e, assim, matá-lo, no início do mês no Parque Nacional de Hwange.

A morte de Cecil chocou a comunidade, porque além do porte considerável, o animal parecia apreciar o contacto com humanos. O leão terá sido atraído para fora do parque (comum presa morta) e só então foi atingido com a flecha. O ataque aconteceu de noite, pelo que apenas na manhã seguinte foram encontrar o animal decapitado e sem pele. “Ele nunca chateou ninguém, era um dos animais mais bonitos para se olhar”, descreve Johnny Rodrigues, responsável pela unidade militar de conservação do Zimbabué.

Já o caçador suspeito de ter feito o disparo é Theo Bronkhorst, um profissional que trabalha para a Bushman Safaris que esta a ser acusado pela “Gwayi Conservancy”, uma organização sem fins lucrativos que protege a vida animal no distrito de Hwange.