O diretor-geral da Saúde, Francisco George, veio esta quinta-feira explicar que na origem da bactéria multirresistente detetada no Hospital de Gaia, que já matou, pelo menos, três pessoas, está “o uso indevido, inadequado” de antibióticos. 

“Todos temos de reconhecer que o antibiótico é um bem que tem risco porque há bactérias que são resistentes, exatamente devido ao uso indevido, o excesso de antibioterapia, quando é utilizado para tratar erradamente infeções de origem viral”, concretizou Francisco George, rematando que as bactérias, “uma vez em contacto com os antibióticos, podem desenvolver essas resistências e foi isso que aconteceu em Gaia”.

Francisco George, que falava em Mirandela, à margem de um ato público de apoio ao consumo de alheira e ao fumeiro da região, garantiu ainda que “todas as medidas têm sido tomadas pela equipa do hospital de Gaia com o apoio dos serviços da Direção-Geral da Saúde (DGS)” e disse acreditar que “este problema – se bem que grave, que não pode ser ignorado – está agora controlado”.

Já na quarta-feira o conselho de administração do Hospital de Gaia garantiu, em comunicado, que a situação “está controlada”. As suspeitas recaem sobre uma doente que fez vários ciclos de antibiótico e que, no dia 29 de julho, esteve na mesma unidade de pós-operatório com o primeiro paciente infetado.

Atualmente estão internados no Hospital de Gaia 17 doentes portadores de Klebsiella Pneumoniae “em regime de isolamento” e há ainda “dois doentes com infeção em tratamento, com evolução favorável”. Esta bactéria multirresistente é de rápida disseminação, transmite-se pelo toque e sobrevive na pele e no meio ambiente.

Também na quarta-feira, o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, José Azevedo, defendeu o encerramento do pavilhão central do hospital, de forma a impedir a disseminação da bactéria que contaminou mais de 30 pessoas desde 7 de agosto.

Na semana passada, a Direção-Geral de Saúde admitiu que, pelo menos, três das oito mortes ocorreram em resultado da infeção pela bactéria multirresistente identificada no Hospital de Gaia. Os outros pacientes terão morrido com a infeção, mas não por causa da infeção.