O português Paulo Gonçalves (Honda) conseguiu reparar o radiador da sua mota e partiu hoje no terceiro lugar da classificação, a 34 minutos do australiano Toby Price (KTM), que lidera o rali todo-o-terreno Dakar’2016.

“Ontem [terça-feira], as condições de mecânica da mota estavam melhor do que esperado. Pude reparar o radiador e comprovar pistões e compressão. Tudo bem!”, lê-se no Twitter oficial da equipa nipónica.

Apenas durante o dia de hoje, o australiano Price foi declarado vencedor da nona etapa do Dakar’2016, em volta de Belen, na Argentina, e que foi interrompida na terça-feira devido ao forte calor, consolidando a sua liderança na classificação geral.

A etapa teve apenas uma extensão de 179 quilómetros, quando estava previsto que tivesse 285.

A direção do rali decidiu atribuir os tempos obtidos pelos pilotos no final do primeiro posto de controlo, ao qual apenas tinha chegado uma dezena, e atribuir um tempo fixo aos restantes.

Desta forma, Price assegurou a quinta vitória em etapas na presente edição do Dakar, com o tempo de 3:26.58 horas, à frente do norte-americano Ricky Brabec (Honda) e do francês Antoine Meo (KTM), segundo e terceiro classificados, a 12.29 e 13.24 minutos, respetivamente.

Na classificação da tirada maratona, Gonçalves surge no 13.º lugar, a 31.56 do australiano.

Na geral, Price lidera com 28.59 minutos de vantagem sobre o eslovaco Stefan Svitko (KTM) e 34.01 sobre Paulo Gonçalves, que tem 12 minutos de diferença sobre Meo, quarto classificado.

Hélder Rodrigues (Yamaha) ocupa o sétimo lugar, a 50.03, Mário Patrão (KTM) o 20.º, a 2:45.58 horas, e Pedro Bianchi Prata (Honda) o 58.º, a 9:14.23.

A 10.ª etapa, entre Fiambala e La Rioja, começou com uma hora de atraso para as motas, devido ao nível elevado de água num rio, algo que levou também à redução em cerca de 30 quilómetros da especial cronometrada.