Não são só os Espanhóis que aguardam pela formação de governo. Também a equipa do FMI responsável por visitar o país e elaborar o relatório anual com o diagnóstico sobre a economia espanhola e a atualização das previsões decidiu adiar a missão no terreno até que haja novo governo, escreve o El País.

Normalmente, os resultados do Capítulo IV são apresentados em Espanha no início do verão, mas, este ano, dado que o FMI quer aguardar pela formação de um novo Governo, para ter interlocutor, o relatório só deverá ser conhecido depois verão, segundo fontes da instituição liderada por Lagarde.

O Rei de Espanha anunciou, na terça-feira, que vai voltar a reunir com os partidos políticos nos dias 25 e 26 de abril. Se até ao dia 3 de maio não tiver sido encontrada uma solução de governo, serão marcadas novas eleições para o dia 26 de junho.