O ex-ministro da Economia Pires de Lima defendeu esta terça-feira que o modelo de privatização da TAP, negociado pelo Governo de António Costa, só tem desvantagens, nomeadamente ao obrigar o Estado a manter a dívida no seu perímetro financeiro.

“Só vejo desvantagens neste modelo que o Governo do PS decidiu seguir depois de se ter feito o ‘closing’ da operação [de privatização] em novembro”, afirmou Pires de Lima, que está a ser ouvido na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, referindo que na altura do fecho da venda já não integrava o então recém-constituído Governo de Passos Coelho.

O antigo governante criticou o modelo de “gestão privada de uma empresa que passa a ser detida a 50% pelo Estado”, que assim “tem que manter no seu perímetro financeiro a dívida da TAP” e obriga “a maior participação do Estado num reforço do capital”.