Rádio Observador

Beleza e Bem Estar

Já está a morrer de calor? Estes sprays vão salvar-lhe a vida

178

São como bombas de hidratação na pele que penetram profundamente. Mas também refrescam, fixam a maquilhagem, protegem dos raios solares e ajudam a manter a oleosidade à distância.

Autor
  • Helena Magalhães

Sabemos que o verão finalmente começou quando, às 11h da manhã, a nossa pele já está brilhante e até a melhor das bases à prova de água já está a escamar. É sinal, não de que a primavera está em flor, mas de que o calor nos vai deixar pegajosas até meados de setembro. E isto podia ser a desculpa que dávamos antigamente. Mas não agora com as prateleiras cheias de sprays, águas termais, águas de beleza, brumas com proteção solar, fixantes de maquilhagem e águas celulares. O que é que todas têm em comum? Hidratam a pele, refrescam, reduzem a oleosidade ao longo do dia e – o sonho de quase todas as mulheres – fixam a maquilhagem.

O que são? Quais os seus benefícios? Vale a pena ter uma na mala durante o dia? Como se aplicam? Não borram a maquilhagem? Respondemos a todas estas perguntas. É só continuar a ler.

O que são estas águas em spray?

Já há no mercado diversas fórmulas mas a maioria contém ingredientes poderosos, como minerais, que vêm de fontes termais e têm propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Falando de forma prática, hidratam a pele, nutrem, acalmam, ajudam a proteger a pele de fatores externos e, quando aplicadas ao longo do dia, estimulam a pele a hidratar-se continuamente.

Em que situações estes sprays são uma mais valia?

Nós diríamos… Durante o dia. Todos os dias. No verão, quando a pele está irritada pelo sol, no inverno quando está seca do frio, para quem trabalha o dia todo num escritório com ar condicionado, para quem não consegue fixar a maquilhagem, para quem tem tendência a ficar com a pele demasiado oleosa a meio do dia, antes da maquilhagem para durar mais, depois da maquilhagem para fixar, antes de dormir para hidratar durante a noite, ao acordar para limpar, durante uma viagem de avião para não deixar a pele ressecar, depois de tratamentos de pele para acalmar, depois de queimaduras solares para cicatrizar e até para limpar os pincéis de maquilhagem… Resumindo e concluindo, em qualquer situação.

Se são apenas águas, posso fazê-las em casa?

Bem… Não. As águas normais não têm os minerais que as águas termais têm. O site Skinacea explica: por exemplo, o spray de La Roche-Posay tem selénio (com funções antioxidantes) e o de Vichy tem enxofre (combate as inflamações), a água termal de Avène tem sílica (dá vitalidade à pele) e a de Evian tem um pH de 7.2 (a água normal da nossa torneira varia entre 6.5 e 9, segundo a EPAL). Além disso, um dos pontos fortes destes produtos é serem exatamente em formato bruma e spray e seria bastante difícil conseguir, em casa, criar estes frascos que pulverizam tão finamente como a névoa térmica que estes produtos produzem.

Quais são os benefícios?

Proteger. Estas águas criam uma espécie de película protetora que faz com que a pele não resseque ao longo do dia. Quantas mais vezes aplicar, mais hidratada vai ficar a pele.

Hidratar. A revista Elle Canadá explica que a nossa pele tende a ficar irritada e a perder a sua capacidade de se proteger e de manter a humidade ao longo do dia por uma série de razões, mas podemos culpar o stress, o estilo de vida que levamos, os alimentos que comemos, o tempo que passamos em escritórios com ares condicionados, o excesso de álcool, cafeína… O nosso corpo está constantemente a usar água para o funcionamento do metabolismo celular mas todas estas condicionantes vão diminuir o seu bom funcionamento. Estas águas termais atuam exatamente neste ponto ao hidratar e ajudar a manter a água na pele.

Profundidade. Ao serem uma espécie de brumas, as suas microgotas penetram profunda, imediata e intensamente na pele.

Acalmar. Qualquer coisa — desde o stress à poluição — pode diminuir a barreira de proteção da pele, comprometendo a sua capacidade de cumprir o seu papel protetor. E quando a permeabilidade da pele e a micro-circulação superficial são comprometidas, podemos dizer olá às vermelhidões, às irritações e à sensibilidade cutânea. É aqui que entram as águas termais e minerais porque têm ingredientes como magnésio, cálcio e potássio que reduzem estas inflamações. Mas há outros benefícios: apaziguam a pele sensível, ajudam a cicatrizar peles irritadas por fatores externos com o sol, a poluição e até após tratamentos mais invasivos como lasers e peelings.

Anti-age. Estes sprays funcionam como um antioxidante natural que ajuda a prevenir o envelhecimento da pele.

Longevidade da maquilhagem. Há mesmo sprays fixantes que não existem só para os maquilhadores profissionais — todas nós os podemos usar. Estas águas são mágicas para manter a maquilhagem decente ao longo do dia porque, ao manterem a humidade da pele, evitam o ressecamento e a oleosidade que, normalmente, são os culpados para, na hora de almoço, já termos máscara de pestanas nas bochecas. Por serem em formato bruma, não borram nem retiram a maquilhagem.

Na fotogaleria, em cima, mostramos alguns dos melhores sprays que existem atualmente no mercado: desde águas termais a águas celulares, passando por águas vitalizantes, fixantes de maquilhagem, águas protetoras e brumas. Existem para todos os gostos e necessidades. Leve uma consigo na mala e aplique-a várias vezes ao longo do dia.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Maternidade

Como dói um sonho quando morre /premium

Eduardo Sá

Arrasta-se para o carro. Chora, finalmente. Grita. Geme. Não acredita que nada daquilo esteja a acontecer. E confronta-se com o absurdo de ter um útero a servir de urna quando, antes, ele era só o céu

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)