Foi atribuída pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos uma medalha de ouro a um atleta independente, ou seja, que compete “sem bandeira”. O autor do feito foi Fehaid Al-Deehani, atirador que nasceu no Kuwait há 49 anos e venceu esta quarta-feira a medalha de ouro no tiro aos pratos.

Fehaid Al-Deehani é militar de profissão e participa nos jogos do Rio 2016, como atleta olímpico independente (integrado na equipa IOA — Independent Olympic Athletes). O Kuwait foi sancionado pelo Comité Olímpico Internacional pela interferência do Governo no desporto e o país não está representado oficialmente na competição.

O soldado do exército do Kuwait foi convidado a ser o porta-estandarte da equipa IOA na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, mas recusou. “Sou um militar e só vou transportar a bandeira Kuwait”, justificou Al-Deehani.

As únicas duas medalhas olímpicas da história do Kuwait (antes da sanção do Comité Olímpico Internacional) foram ganhas precisamente por Fehaid Al-Deehani. O militar arrecadou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000 e voltou a ganhar o bronze na última edição dos jogos olímpicos, em Londres, em 2012.