A Federação Nacional da Educação e a Fenprof anunciaram esta terça-feira que mantêm a realização na quarta-feira de uma greve nacional de professores.

“Não foi possível chegar a um consenso. A greve mantém-se”, disse o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, à saída da reunião com o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e a secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, que decorreu ao final do dia desta terça-feira.

Por seu lado, o ministro Tiago Brandão Rodrigues justificou a ausência de acordo com constrangimentos que ultrapassam o âmbito de ação do Ministério da Educação “De forma importante pudemos dar passos, mas de forma responsável não foi possível ir mais longe”, disse o ministro.

Os professores exigem compromissos relativamente a novos concursos para integrar professores precários, a um regime especial de aposentação e uma reorganização dos horários de trabalho.

A greve irá afetar os exames de Física e Química, Geografia e História da Cultura e das Artes do 11º ano do ensino secundário.