Os Red Hot Chili Peppers começam esta quinta-feira, em Lisboa, uma nova digressão europeia, no arranque do festival Super Bock Super Rock (SBSR), numa edição que procura chegar a vários públicos, do rock ao hip hop.

Entre esta quinta-feira e sábado, o SBSR cumpre a 23.ª edição com concertos repartidos por quatro palcos, no Parque das Nações, junto ao Tejo. O cartaz conta, por exemplo, com os regressos dos Deftones e dos Red Hot Chili Peppers – em digressão com o álbum The Getaway – e com a estreia em Portugal dos rappers Future e Pusha T.

O público que temos à volta do festival não é um só público. Tivemos de alargar a nossa perceção e é o público que nos vai dizendo quem ele é. Nós tínhamos um público mais velho e, no ano passado, com o Kendrick [Lamar] percebemos que atraímos público mais novo”, explicou a programadora Vanessa Careta à agência Lusa.

O festival juntou vários nomes do hip hop nacional, como NBC, Slow J, Beatbombers e o projeto luso-brasileiro Língua Franca. “Tínhamos de voltar a apostar e não há falta de nomes bons dentro do hip hop nacional e internacional”, sublinhou Vanessa Careta.

O recinto, com capacidade para 20 mil pessoas, abre às 15h00 e a organização apela aos espectadores para que cheguem cedo, porque haverá revista demorada por parte das autoridades. Recorda ainda que está proibida a entrada de armas, material explosivo e pirotécnico, capacetes, bebidas, animais, chapéus de chuva ou malas de viagem.

Luís Montez: “Venham cedo. A polícia vai fazer revistas demoradas”

Os passes de três dias e o bilhete diário desta quinta-feira já estão esgotados.

Do alinhamento para esta noite, destaque ainda para os concertos de Capitão Fausto, The Legendary Tigerman, The New Power Generation – numa homenagem a Prince – e Alexander Search, o novo projeto de Salvador Sobral e Júlio Resende.

Poesia inglesa de Pessoa inspirou banda de rock de Júlio Resende e Salvador Sobral