Podia ser opção, podia ser imposição, mas a verdade é que, até hoje, o FC Porto não tinha contratado um único jogador para a temporada 2017/18. E o mais parecido com isso tinha sido mesmo a renovação de Iker Casillas, que tinha terminado contrato com os dragões mas decidiu ficar mais uma época. Assim, parecia que a baliza era a menor das preocupações dos azuis e brancos… até à partida para o México: Vaná, brasileiro de 26 anos do Feirense, é o primeiro reforço do plantel de Sérgio Conceição e já seguiu viagem com a equipa.

O nome não é propriamente estranho no universo dos dragões, mas surgiu sempre como uma alternativa à saída do campeão europeu e mundial espanhol e não como um possível companheiro de posição. Até porque, olhando para a lista de convocados do FC Porto para esta fase de preparação no México, seguirão viagem quatro guarda-redes: além de Casillas e Vaná, irão também José Sá, o habitual suplente, e João Costa, da equipa B.

Nascido em Planaltina, rumou ao Paraná em 2006 quando tinha apenas 15 anos, para representar o Atl. Paranaense. Esteve depois no Irati, no Londrina e no Operário até 2009, altura em que o pai sofreu um enfarte. Regressou ao Distrito Federal para ajudar a família. Pouco depois, e com o pai recuperado, deu o maior salto da carreira.

Vaná, ou Vanailson Luciano De Souza Alves, agarrou a oportunidade no Coritiba graças ao contacto com um antigo treinador nas camadas jovens, passou uma época no Canoas (em Rio Grande do Sul) mas regressou ao clube original, onde ficou até 2016, ano em que foi cedido ao ABC Natal, onde ganhou o Campeonato Potiguar e foi considerado o melhor guarda-redes do estadual. Foi essa temporada que despertou o interesse do conjunto de Santa Maria da Feira, que contratou o brasileiro em 2016/17.

https://www.youtube.com/watch?v=tTpri9pZxzc

Peçanha, um veterano que já tinha passado pela Primeira Liga, começou a época como titular mas, a seguir à derrota por 4-0 do Feirense na Luz, frente ao Benfica, Vaná foi titular nos triunfos para a Taça da Liga (Tondela) e para a Taça de Portugal (Alcanenense), não mais saindo da equipa. Fez um total de 29 jogos no Campeonato, destacando-se nos encontros realizados contra os ‘grandes’: foi fundamental, por exemplo, no nulo com… o FC Porto.

Ficou também, da imprensa brasileira, uma história comovente do guardião quando estava no ABC, em Rio Grande do Norte, com o menino João Gabriel. A criança, de cinco anos, tornou-se um grande fã de Vaná, até porque entrava sempre com os guarda-redes da equipa em campo. O seu sonho também era ser guardião do ABC, mas uma má formação congénita atirou-o para uma cadeira de rodas e roubou-lhe esse sonho. O reforço dos dragões ficou ainda mais próximo de João Gabriel no dia em que, quando anunciou a saída, a criança se agarrou a ele, a chorar. Prometeu que um dia voltaria e, entretanto, já lhe enviou uma camisola do Feirense. A próxima será do FC Porto.