A Barraqueiro venceu esta quarta-feira o concurso de subconcessão do Metro do Porto, avança o Jornal de Notícias. O grupo irá operar por sete anos, entre abril de 2018 e março de 2025.

A Barraqueiro disputou a subconcessão da operação e da manutenção da rede da Metro do Porto com mais cinco concorrentes — com a Corporatión Española de Transportes (Avanza), DST, MEAS/Manvia/ME SGPS/MGC (Mota Engil), Neopul e Tansdev — e o único critério de seleção era o preço mais baixo. De acordo com o Jornal de Notícias, apesar de ter feito a melhor proposta, o grupo ganhou a subconcessão com pouco diferença em relação à consórcio da Mota-Engil. A espanhola Corporatión Española de Transportes ficou em terceiro lugar. O valor de referência do concurso era de 221 milhões de euros.

Também segundo o Jornal de Notícias, a proposta da Transdev, que venceu o concurso público lançado em 2015 pelo anterior Governo, entretanto anulado devido a “invalidades diversas”, ficou longe dos primeiros lugares.

Barraqueiro e Mota-Engil entre os seis candidatos ao Metro do Porto

O concurso foi lançado a 23 de junho deste ano e tinha como término para apresentação de propostas o dia 25 de setembro, só que o prazo acabou por ser adiado para 6 de outubro. O caderno de encargos foi levantado por 26 concorrentes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com o Jornal de Notícias, o conselho de administração da Metro do Porto ainda não recebeu o relatório do júri do concurso. Assim que for entregue, este será submetido a aprovação. Haverá depois um período de audiência prévia em que os concorrentes poderão contestar a decisão. A empresa espera poder assinar o contrato até ao final do ano.