O treinador Sérgio Conceição disse esta quinta-feira que o primeiro jogo após seleções é sempre “difícil e perigoso”, na antevisão da receção do FC Porto ao Portimonense, para os 16 avos de final da Taça de Portugal de futebol.

Ainda de acordo com o treinador, o regresso à competição após a paragem para os trabalhos das seleções é sempre difícil de gerir e treinar com sete ou oito jogadores do plantel principal não é a mesma coisa do que com o grupo completo.

A título de exemplo, depois de os 11 ‘dragões’ ao serviço das respetivas seleções terem regressado esta semana a ‘conta-gotas’, Maxi Pereira e Yacine Brahimi só esta quinta-feira é que integraram o plantel, mas limitaram a sua preparação a treino de recuperação.

O primeiro jogo é sempre difícil e perigoso, mas estamos alertados e preparados para isso. Queremos dar uma resposta de acordo com aquilo que nós queremos e que é o nosso objetivo. Passar estas etapas, chegar à final e ganhar a Taça de Portugal”, disse Sérgio Conceição.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O treinador recordou que o Portimonense, que no Estádio do Dragão para a I Liga fez dois golos, na derrota por 5-2, num jogo em que o FC Porto teve um outro momento em que não esteve bem, evoluiu como equipa e está mais consistente e conhecedora.

“Temos vindo a trabalhar e a corrigir alguns aspetos para chegar perto da perfeição, se é que isso existe, pois do outro lado temos um adversário que nos coloca sempre problemas”, considerou Sérgio Conceição, admitindo que no jogo de sexta-feira “o FC Porto tem mais a perder do que o Portimonense”.

O treinador recusou-se a adiantar a equipa a utilizar na receção ao Portimonense e garantiu que, como sempre, irá recorrer ao onze indicado para o jogo que tem pela frente, avaliando sempre quais os jogadores que estão em melhores condições. Sérgio Conceição mostrou-se agradado com a opinião do treinador do Portimonense, Vítor Oliveira, que considerou o FC Porto a melhor equipa do momento em Portugal, mas admitiu que os elogios o deixam sempre desconfiado.

O treinador desvalorizou ainda as críticas do diretor de comunicação do clube, Francisco J. Marques, à gestão dos jogadores nas seleções, que no seu entender ganharam uma importância que ele não deu, considerando que o treinador e o presidente são as pessoas que falam sobre o futebol no FC Porto.

Otávio, Marega, Soares e, mais recentemente, Herrera são os jogadores que vão estar fora dos convocados para o jogo com o Portimonense, por lesão, algo que preocupa o treinador portista. “Se eu quisesse arriscar até poderia meter Herrera na lista, mas podia complicar e por precaução não vai estar convocado. Se fosse o último jogo da época até era capaz de o meter”, acrescentou Sérgio Conceição.

Questionado sobre se o guarda-redes Iker Casillas podia voltar à baliza frente ao Portimonense, Sérgio Conceição disse apenas que o espanhol ia ser convocado, como todos os outros, mas amanha logo verão. “O João Costa tem evoluído de uma forma muito boa, assim como o Vaná. Os quatro guarda-redes do plantel estão a trabalhar de uma forma fantástica e é esse o lugar onde tenho mais dores de cabeça”, adiantou Sérgio Conceição.

Confrontado com os comentários de Julen Lopetegui e Sérgio Ramos, relacionados com a ausência de Iker Casillas da baliza e comparando-o a José Mourinho, Sérgio Conceição disse que não valia a pena entrar por aí, mas que ia estar atento.

Questionado ainda sobre a condição de líder destacado da I Liga, Sérgio Conceição disse que, mais importante do que comandar agora ou em dezembro, é “estar à frente em maio”. “É uma caminhada muito difícil, obviamente é sempre melhor estar na frente do que em segundo, há mais pressão, e espero em maio ter mais um ponto do que o segundo classificado”, disse.