Cultura

Bailado “O Lago dos Cisnes” regressa ao Teatro Camões

O bailado "O Lago dos Cisnes", na versão coreográfica de Fernando Duarte, será interpretado pela Companhia Nacional de Bailado e estará acompanhado por um filme de Edgar Pêra.

MARIO CRUZ/LUSA

O bailado “O Lago dos Cisnes”, na versão coreográfica de Fernando Duarte, acompanhado por um filme de Edgar Pêra, regressa na sexta-feira ao Teatro Camões, em Lisboa, interpretado pela Companhia Nacional de Bailado.

De acordo com a programação, esta nova versão do clássico, que esteve anteriormente naquele palco em maio de 2014, vai ser apresentada no Teatro Camões, até 22 de dezembro.

Com música de Piotr Ilitch Tchaikovsky e figurinos de José António Tenente, o espetáculo vai ter interpretação musical da Orquestra Sinfónica Portuguesa, que acompanha, pela primeira vez, esta versão de “O Lago dos Cisnes” para a CNB, com direção do maestro Pedro Neves.

O espetáculo é baseado na coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov, mas tem reconstrução coreográfica e coreografia adicional de Fernando Duarte, bailarino principal e ensaiador da CNB.

Considerado um clássico da história da dança, o primeiro “O Lago dos Cisnes”, drama em quatro atos com coreografia de Julius Reisinger, estreou-se em 1877, no Teatro Bolshoi, em Moscovo, mas foi um fracasso pelas más interpretações da orquestra e dos bailarinos.

A segunda versão, com coreografia criada por Marius Petipa e Lev Ivanov, conjugando poética com técnica, estreou-se em 1895, em São Petersburgo, tornando-se a versão de referência em todo o mundo.

No âmbito da digressão nacional, a CNB irá apresentar “O Lago dos Cisnes” no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, no final deste mês, nos dias 29 e 30, às 21h00.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Paris

A morte das catedrais

António Pedro Barreiro
445

A separação forçada entre a beleza e a Fé é lesiva para ambas as partes. O incêndio em Notre-Dame recorda-nos isso. Recorda-nos que as catedrais não são montes de pedras.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)