Fruto das novas tendências do mercado, mas principalmente dos (fracos) resultados comerciais, a Audi terá já decidido colocar um ponto final na produção do R8. Esta proposta desaparecerá da oferta da marca de Ingolstadt, presumivelmente, já em 2020, e nem mesmo o suposto sucessor, conhecido até aqui como R8 E-Tron, passará à produção.

A notícia foi avançada pela francesa Automobile Magazine, segundo a qual o desaparecimento do R8 coincidirá com a chegada da nova geração do Lamborghini Huracán, que terá por base uma nova plataforma.

A piorar ainda mais o panorama, para os fãs da marca dos quatro anéis, surge a informação de que o R8 E-Tron, espécie de evolução eléctrica do conhecido superdesportivo alemão de dois lugares, também terá sido deixado cair. O mesmo acontecendo com os projectos de um segundo supercarro, a que havia sido dado o nome de código de Scorpion e que deveria envergar um V8 com o mesmo sistema de válvulas Desmodromic aplicado nos blocos de 1,2 litros das motos Ducati. E que, supostamente, anunciaria 1.000 cv de potência.

V6 2,9 litros é o próximo passo

Quanto ao V10 que é agora a imagem de marca do R8, vai dar o seu lugar a um novo V6 2,9 litros de 450 cv, mas que pode chegar aos 470 cv. E que, ao que tudo indica, deverá surgir ainda no actual R8, em 2018, continuando disponível, após o desaparecimento deste, no RS5 Coupé e RS4 Avant.

Entretanto, como este V6 pouco mais poderá evoluir, os engenheiros da Audi preparam já uma nova motorização híbrida. A qual acrescentará a este mesmo bloco um motor eléctrico, a garantir um extra de 114 cv de potência. Não se sabendo, para já, em que modelos poderá vir a ser estreado este novo sistema motopropulsor.

RS6 Avant e RS7 com V8, tal como o RS Q8

Quanto aos modelos RS mais estatutários, como é o caso da RS6 Avant ou do RS7, deverão continuar a ser propostos com o V8 4,0 litros biturbo, sem qualquer tipo de electrificação, mas capaz de abranger um leque de potências que vão dos 500 aos 650 cv. Notícias recentes referem ainda a possibilidade do coupé de cinco portas poder vir a ostentar a mesma motorização híbrida do Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid, naquilo que será uma possível versão RS7 Performance, com 700 cv. Ou seja, mais 50 cv que o RS7 standard.

No topo da oferta estará o RS Q8, proposta que deverá chegar em 2020, utilizando o mesmo V8 do Lamborghini Urus, a debitar 650 cv. Isto, sem esquecer a já várias vezes avançada (pela imprensa) versão “by Audi” do Porsche Mission E, frequentemente descrita como uma interpretação moderna e eléctrica do icónico modelo Quattro, com cinco lugares.