A Apple vai introduzir uma opção que permite desativar a redução de desempenho em iPhones mais antigos com o propósito de proteger as baterias e os equipamentos, “funcionalidade” que foi revelada o ano passado por um estudo que demonstrou que os iPhones 6s e 7 com a versão mais recente do iOS ficavam propositadamente mais lentos.

O anúncio foi feito por Tim Cook, presidente executivo da Apple, em entrevista à ABC News, a quem revelou que o próximo update tornaria o estado da saúde da bateria mais transparente e daria a possibilidade ao utilizador de escolher se quer ou não reduzir o desempenho do iPhone em prol de uma maior vida útil de bateria. A atualização será lançada primeiramente para developers, no próximo mês, e só depois para os restantes utilizadores.

Cook disse que a Apple vai dar aos utilizadores a “visibilidade da saúde de bateria para que [tudo] seja muito, muito transparente”, acrescentando que a medida é “algo que nunca foi feito”. A funcionalidade que a Apple vai introduzir, afirmou o presidente, irá dizer ao utilizador se a performance do seu iPhone está ou não a ser reduzida e em quanto está a ser reduzida.

Apesar de disponibilizar a escolha de desativar a redução de desempenho em função da saúde de bateria, a Apple desaconselha que o façam — com o passar do tempo, o desempenho das baterias de ião lítio começa a piorar e pode levar a que os telemóveis desliguem de forma abrupta de modo a proteger os componentes.

O que a funcionalidade da Apple faz, de acordo com a empresa, é amenizar as exigências de carga, algo que aumenta o tempo de vida da bateria e evita que o iPhone se desligue de forma inesperada. Este software foi lançado apenas para os iPhones 6, 6s, SE e 7.

A Apple decidiu ainda reduzir o preço da substituição de bateria para os iPhones 6 e anteriores durante todo o ano de 2018. Em 2019 os preços irão voltar à normalidade.