Nunca se venderam tantas casas, e tão caras, em apenas um ano, desde que há registos em Portugal. Dizer que o país está na moda é hoje um lugar comum. Mas está, e, segundo todas as previsões, continuará a estar. Temos boa comida, um clima simpático, praias incríveis, boas escolas, universidades e hospitais, benefícios fiscais para estrangeiros e, muito importante, segurança. Estes fatores, entre outros, fazem deste o país ideal para assentar arraiais ou o destino de eleição para uma viagem.

Impulsionado pelo turismo e pelos prémios internacionais que o país tem vindo a somar, a área do imobiliário tem vindo a renascer, depois de vários anos em crise. Hoje, investir em ativos imobiliários em Portugal está no radar dos investidores estrangeiros, que procuram o país como destino de investimento comercial, turístico, para morar ou trabalhar.

[jwplatform HpGgztDu]

Fruto da queda das taxas de mercado para mínimos históricos, também os portugueses veem hoje o sector imobiliário como uma alternativa em termos de investimento, uma vez que as poupanças rendem atualmente pouco mais do que zero, ou mesmo zero. Quem tem 200 ou 300 mil  euros no banco, prefere nos dias que correm investir em imóveis.

Os investidores que pretendam considerar o imobiliário como uma forma de rentabilizar o seu património têm atualmente várias formas de o fazer: através do aluguer de longa duração – uma opção que é indicada para quem procura rendimentos fixos a longo prazo -, ou do alojamento local, algo que poderá exigir um maior investimento, mas também ser mais rentável. Qualquer uma das duas opções renderá, certamente, mais do que o dinheiro parado no banco. Mas há também quem compre com o objetivo de revenda e quem invista na casa onde deseja viver na idade da reforma.

[jwplatform HNH0SGOj]

Os preços das casas subiram, e muito. No entanto, as boas oportunidades continuam a existir, nomeadamente nas zonas periféricas e, inclusivamente, fora de Lisboa e do Porto.

Tendo em conta que comprar uma casa pode implicar dias, semanas ou meses de pesquisa, visitas e contactos, e que o processo de compra ou venda de uma casa implica uma série de burocracias, recorrer a uma agência imobiliária pode ser uma boa opção. As agências imobiliárias proliferam. Estão por todo o lado. Nas ruas, nas caixas de correio, e na internet. A primeira questão que se coloca pode ser: que consultora imobiliária escolher? E a segunda: em que imóvel investir?

[jwplatform EfxVWBeX]

Uma das consultoras mais antigas, em Portugal, é a JLL. Tem mais de dois séculos de história, e está presente no país desde 1997. A história da Jones Lang LaSalle começou em 1783, em Londres, com a criação da Jones Lang Wootton (JLW) & Sons. Hoje, dois séculos depois, é uma consultora internacional de referência.

Durante os últimos 20 anos, a empresa alcançou uma posição de liderança no mercado imobiliário português, e atravessa um dos seus melhores momentos de sempre, com um crescimento anual superior a 30% nos últimos dois anos.

A JLL tem atualmente serviços imobiliários 360º para todos os segmentos, atuando em várias frentes – Residencial, Escritórios, Retalho e Industrial – em todas as fases do ciclo imobiliário. São dez áreas de negócio, que prestam serviços de agência, investimento, corporate solutions, desenvolvimento urbano, consultoria estratégica & research, avaliações, gestão de imóveis, gestão de projetos e arquitetura & construção de interiores.

Recentemente, a consultora cresceu e expandiu a sua base de serviços, com a aquisição de duas empresas líderes nos seus sectores de atividade: a Novo Interior e a Cobertura. A expansão é suportada por uma equipa pluridisciplinar, composta por cerca de 200 profissionais.

O segmento prime do mercado residencial em Portugal tem sido, para a consultora, um forte motor do mercado. Atualmente, a empresa tem mais de 3.000 unidades para venda e arrendamento, numa vasta carteira de imóveis que inclui projetos emblemáticos como os Aliados 107, Orpheu XI, Villa Garcia, The Lumiares, The Boulevard, Troia Resort, Amoreiras Vista, Ribeira 11, Vila Montrose e República 37.

As boas oportunidades continuam a estar aí. Se não as encontra, ou não tem tempo para as procurar, pode sempre por um especialista a fazer o trabalho por si. Aproveite, que o mercado imobiliário está de boa saúde, e recomenda-se.