A startup portuguesa Sensei captou um investimento de meio milhão de euros junto de um dos maiores grupos retalhistas mundiais, o alemão Metro Group, da Sonae IM (Bright Pixel) e do acelerador americano Techstars. A empresa desenvolveu um sistema de reconhecimento de vídeo em tempo real que transforma câmaras de videovigilância em sensores, capazes de analisar o que acontece dentro de uma loja ou supermercado.

A Sensei foi fundada há um ano por Vasco Portugal, Joana Rafael e Paulo Carreira, e participou no ano passado no programa de aceleração Metro Accelerator for Retail, em Berlim.

“A nossa missão é digitalizar o mundo físico do retalho, tornando as lojas mais inteligentes e capazes de interpretar as necessidades dos clientes, juntando o melhor dos dois mundos: a emoção da experiência de compras numa loja física e a eficiência de ter todas as operações interconectadas de uma loja digital. Queremos tornar a experiência em loja mais conveniente para o cliente, sem barreiras e mais personalizada do que alguma vez foi possível”, afirma Vasco Portugal, em comunicado.

Greg Rogers, diretor executivo da Techstars, explica que investiu não só numa equipa com conhecimentos profundos na área mas também no foco que tem em trazer o retalho físico para a era digital. A tecnologia da Sensei deteta o movimento humano no espaço da loja e apresenta o resultado em tempo real — a informação recolhida é anónima e a privacidade do cliente respeitada, diz a Sensei.

A tecnologia do Sensei permite dar suporte às operações das grandes lojas e cadeias de supermercado mundiais, assinalando o
reabastecimento de prateleiras e verificar se estão a obedecer ao planeamento proposto, por exemplo. A equipa começou a
formar-se no Instituto Superior Técnico, onde Paulo Carreira é professor de engenharia de software, e Vasco Portugal e Joana Rafael doutorandos do programa MIT Portugal.