Cinquenta candidaturas de 89 avaliadas na área do teatro, deverão receber apoio da Direção-Geral das Artes (DGArtes), no período 2018-2021, revelam os resultados provisórios do concurso, que deixam de fora companhias de Coimbra, Évora, Covilhã e Porto.

Os resultados indicam que 50 estruturas vão ter acesso a financiamento plurianual, deixando de fora várias companhias e grupos que tiveram apoio no passado, revela a ata do projeto de decisão do Concurso ao Programa de Apoio Sustentado 2018-2021 da DGArtes, comunicada aos candidatos e a que a agência Lusa teve acesso.

De fora do concurso, ficam as duas companhias profissionais com sede em Coimbra — O Teatrão e a Escola da Noite —, o Centro Dramático de Évora (CENDREV), o Teatro das Beiras, da Covilhã, assim como o Teatro Experimental do Porto, a Seiva Trupe, o Festival Internacional de Marionetas e o Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI), no Porto, o Teatro de Animação de Setúbal, Teatro Experimental de Cascais e a Cooperativa Cultural Espaço Aguncheiras. No total, são 39 as estruturas e projetos que ficam sem financimento.

Entre as companhias com projetos apoiados, segundo o projeto de decisão, estão a Mala Voadora, Teatro Praga, Comédias do Minho, Teatro da Garagem, Teatro Meridional, Teatro do Bolhão, Artistas Unidos, Teatro da Rainha, Teatro do Noroeste, associação Enlama e mais 40 estruturas de diferentes pontos do país.

Após a comunicação do projeto de decisão, segue-se ainda a fase de audiência de interessados, na DGArtes, onde as estruturas que se candidataram podem apresentar reclamação dos resultados, sendo esperada a comunicação da decisão final entre o final de abril e o início de maio.

De acordo com o calendário da DGArtes, os pagamentos para o quadriénio de 2018-2021, estender-se-ão até finais junho.