O Benfica anunciou esta segunda-feira a contratação de Nicolás Castillo, avançado chileno de 25 anos que já tinha passado por Lisboa antes de juntar-se à concentração da seleção sul-americana (onde foi expulso no último jogo, com a Roménia, falhando assim o próximo compromisso com a Sérvia e regressando para novo particular com a Polónia) e que foi agora oficializado após o acordo fechado entre os mexicanos do Pumas, a sua antiga equipa, e 0s encarnados.

Conhecido por ‘El Zlatan’, pelas semelhanças físicas ao avançado sueco além da irreverência em campo, o avançado fez quase toda a formação no Universidad Católica (clube que começou a frequentar… por fazer parte da claque), estreando-se depois no conjunto principal em 2011. Três anos depois, rumou à Europa, mais concretamente à Bélgica, assinando pelo Club Brugge, numa experiência que não correu da melhor forma e levou a sucessivos empréstimos a Mainz (Alemanha), Frosinone (Itália) e de novo à Universidad Católica. Na última temporada, já depois de ter estado no conjunto que ganhou a Copa América pelo Chile em 2016, teve o melhor ano da carreira, com 24 golos em 32 jogos.

“Já me disseram que os adeptos são muito fiéis e isso é sempre bom para nós, jogadores. Esperamos responder no relvado. O estádio é bonito e espero cá jogar o mais rápido possível. Tive oportunidade de ver vídeos dos jogos e sei que há sempre muito apoio. É muito imponente, todo vermelho. Quero jogar aqui o quanto antes. Mal soube do interesse do Benfica, o que queria era vir. É um clube grande, conhecido mundialmente, com muitos adeptos e muito falado, e nem demorei um minuto a decidir vir para cá”, comentou o novo reforço das águias em declarações ao site oficial do clube.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Quando jogava na rua, em pequeno, já sonhava ser jogador de futebol. Tive a sorte de ter pais que sempre me levaram aos jogos [n.d.r. o pai foi também futebolista], bem como o meu avô. Tenho de lhes agradecer. Foi assim que começou o sonho e que me permitiu chegar aqui. Quando era mais novo jogava noutras posições, mas a partir dos 16 anos comecei a ter uma posição mais fixa. Já conhecia o Benfica, mas também a cidade, que é muito bonita, ou mesmo a Liga portuguesa. Conheço o Di María, que jogou aqui, o Luisão, que é o capitão e um histórico. Admiro-os muito. Venho para ajudar, para que continue a ser o mais importante de Portugal. Não vejo a hora de jogar perante os adeptos”, salientou ainda o chileno, antes de explicar o que falhou na primeira passagem pela Europa: “Cheguei jovem, um pouco imaturo. Agora estou a 100%, passei de novo pelo Chile, estive no México e isso ajudou-me muitíssimo. Joguei em ligas incríveis, em todas aproveitei e aprendi. Agora venho com a ideia de jogar e ajudar no que a equipa precisar. Estou com muita motivação e com foco no Benfica”.

“Tudo correu como queria. Estar no Benfica é uma grande responsabilidade, mas também uma motivação para continuar a somar títulos”, concluiu, agradecendo ainda as mensagens que foi recebendo dos adeptos através das redes sociais.

Mas este não será o único avançado a chegar aos encarnados: Facundo Ferreyra, argentino de 27 anos que brilhou nas últimas temporadas ao serviço do Shakhtar Donetsk do português Paulo Fonseca, já chegou a Lisboa e deverá também ser apresentado em breve depois de cumpridos os habituais exames médicos como reforço encarnado para as próximas épocas.

Formando no Banfield, o internacional Sub-20 que também é conhecido como ‘Chucky’ passou depois pelo Veléz Sarsfield antes de chegar à Ucrânia, em 2013 (esteve emprestado, em 2014/15, ao Newcastle). Na temporada que chegou agora ao fim, o argentino foi a grande referência ofensiva do Shakhtar, com 30 golos em 41 partidas oficiais.