O endividamento do setor não financeiro era em abril de 724,3 mil milhões de euros, um aumento de 4,6 mil milhões de euros face a março impulsionado pelo endividamento do setor público, divulgou esta quinta-feira o BdP.

Relativamente a março de 2018, o endividamento do setor não financeiro aumentou 4,6 mil milhões de euros em resultado do incremento de 4,5 mil milhões de euros no endividamento do setor público”, refere o Banco de Portugal (BdP), acrescentando que “este incremento traduziu-se num acréscimo do endividamento face ao exterior e ao setor financeiro”.

Já ao nível do setor privado, houve um aumento do endividamento dos particulares em 0,1 mil milhões de euros junto do setor financeiro, sendo que relativamente às empresas o aumento do financiamento externo (0,2 mil milhões de euros) foi anulado pela redução do endividamento face ao setor financeiro.

Segundo o banco central, do total do endividamento do setor não financeiro — que exclui bancos públicos e privados — em abril (724,3 mil milhões de euros), a maior parte deve-se ao setor privado (empresas e particulares) com 401,8 mil milhões de euros, enquanto o setor público não financeiro (administrações públicas e empresas públicas) contribuiu com 322,5 mil milhões de euros.

Em termos homólogos, em abril o endividamento do setor não financeiro da economia aumentou cerca de 5,9 mil milhões de euros (718,4 mil milhões de euros em abril de 2017).