Curiosidades Auto

Cinco coisas que talvez não saiba acerca do boneco da Michelin

Se há imagem que rapidamente associamos à marca que representa, esta é uma delas. O boneco da Michelin está de parabéns. Mas sabe como se chama? E quantos anos faz? Estas e outras curiosidades.

Autor
  • Observador

É uma espécie de herói da indústria automóvel, com um ar simpático e bonacheirão, que foi evoluindo ao longo dos tempos. Mas sempre, sempre, com uma silhueta feita a partir de uma pilha de pneus – ou não fosse ele a imagem emblemática da Manufacture Française des Pneumatiques Michelin.

A conhecida empresa francesa de pneus foi fundada em 1889 pelos irmãos André e Édouard Michelin, ligados há muito ao universo da borracha. Hoje tem 67 unidades de produção, espalhadas por 17 países, sendo reconhecidamente uma das líderes mundiais em pneus e mobilidade.

Mas se há quem não conheça a sua história, poucos serão os que não reconhecem o seu logótipo: o simpático boneco, que celebra agora 120 anos. Quer conhecê-lo melhor?

Um nome que convida a beber… para festejar

Ao observar uma pilha de pneus, Édouard Michelin imaginou um personagem que viria a ser a estrela de um cartaz surpreendente. Em 1898, dava-se a primeira aparição pública do boneco da Michelin, acompanhada da seguinte mensagem: “Nunc est bibendum.” A frase latina significa “agora é beber” e remete para o poema de Horácio, quando este convida os seus contemporâneos a festejarem a vitória romana na batalha de Actium. De uma só penada, o boneco ganhou nome (Bibendum) e a conotação de vitória. Foi um golpe publicitário bem-sucedido, e a prova disso é que virou o século e perdura até hoje.

Quem é o “pai” do Bibendum?

Coube a Marius Rossillon, conhecido artisticamente pelo nome O’Galop, converter em realidade o produto imaginado pelos manos Michelin. E foi dos pincéis do cartoonista francês que nasceu a primeira representação do Bibendum.

Qual a missão do boneco?

Depois de ter surgido em grande destaque no stand da Michelin na primeira edição do Salão de Paris, o Bibendum não mais parou. Sempre que era necessário, lá surgia ele a ilustrar e a explicar informações técnicas associadas ao uso correcto dos pneus. Para além de conquistar rapidamente a amizade do grande público, foi-se impondo como uma espécie de génio da mobilidade, sempre pronto a aconselhar e a orientar várias gerações de viajantes.

Como é que chegou ao aspecto que tem hoje?

Depois de O’Galop, outros grandes nomes da publicidade e da arte dos cartazes também deram o seu contributo para a fama do Bibendum. Hautot, Grand Aigle, Riz, Cousyn e René Vincent foram apenas alguns dos artistas que o “humanizaram” e ilustraram as suas piadas. Mas cada um tinha um estilo muito particular, pelo que a Michelin entendeu que, para facilitar a identificação, a evolução da sua mascote deveria ser feita dentro de casa. E foi o que aconteceu a partir de 1920, altura em que a empresa francesa passou a ter o seu próprio Design Studio. Com uma quantidade definida de pneus e linhas de estilo claras, chegou-se à padronização. E esta trouxe o reconhecimento universal.

Qual a maior distinção que alcançou?

A carreira internacional do Bibendum começou cedo, com o boneco a acompanhar as equipas de vendas da marca e a ajudar a construir a reputação da Michelin. Já visitou todos os continentes e viu a sua popularidade ser atestada pelo Financial Times, que o elegeu o melhor ícone de todos os tempos, em 2000. Desde então, modernizou por duas vezes a sua imagem, para manter-se actual. É esse o segredo da sua (aparente) juventude, apesar de ter mais de um século de existência.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)