Moda

Burberry queimou milhões de euros em roupas prevenir que sejam usadas “pelas pessoas erradas”

1.120

Ao longo de cinco anos, a empresa de moda o queimou excedente não vendido, no valor de 100 milhões de euros, para prevenir que estes produtos fossem usados "pelas pessoas erradas".

Getty Images

A marca de luxo Burberry incinerou vários lotes de produtos e acessórios que não foram vendidos pela empresa nos últimos anos. A medida serviu para prevenir que o material não fosse roubado ou vendido a preços mais baixos e evitar que seja usado “pelas pessoas erradas”.

O valor dos produtos queimados nos últimos cinco anos pela empresa britânica ultrapassa os 100 milhões de euros. O stock destruído pela Burberry tem vindo a aumentar drasticamente. Em 2013, foram incinerados 6 milhões de euros em produtos da marca, cinco vezes menos que no ano passado.

O que a Burberry está a queimar não é lixo – é  excedente, o que é um conceito bem diferente. É um material perfeitamente utilizável ”, disse ao The Independent Orsola de Castro, co-fundador do Fashion Revolution, um grupo sem fins lucrativos que promove maior transparência na indústria.

A destruição parcial de stock tornou-se uma prática comum na indústria, que vê na medida uma forma de proteger a marca e a sua propriedade intelectual.

No caso das empresas de produtos de luxo, a venda dos seus produtos em mercados paralelos pode representar uma grandes perdas demasiado caras. “É proteção de marca neste caso. Não querem que o seus produtos vá parar ás pessoas erradas”, disse Orsola.

Segundo a BBC, a Richemont, empresa que detém marcas como a Montblanc ou a Cartier, comprou de voltar 480 milhões de euros em relógios das marcas nos últimos dois anos. Alguns seriam “reciclados” outros seriam destruídos.

Independentemente dos seus preços elevados, a Burberry não demonstra respeito pelos seus próprios produtos, nem pelo trabalho árduo, nem pelos recursos naturais que são utilizados para os fazer”, disse à BBC Lu Yen Roloff, da Greenpeace, uma das organizações ambientalistas que mais tem criticado a prática.

No seu ano fiscal mais recente, a Burberry registou um aumento de 5% no lucro, para 462 milhões de euros, com vendas um pouco acima dos 3 mil milhões de euros.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)