Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Kim Kardashian saia à rua e o que, durante anos, pareceu só uma vontade extrema de estar confortável (e terá sido, provavelmente, até porque a influência do lazy streetwear de Yeezy, marca de Kanye west, no guarda-roupa da socialite nota-se à distância) era, na verdade, o prenúncio de uma tendência que haveria de voltar, mais tarde ou mais cedo. Justos, mas não necessariamente de licra, de cintura subida e acima do joelho, os calções de ciclista estavam destinados a regressar, desenterrados dos anos 90, período em que vestir algo descontraído era, muitas vezes, como sair de uma aula de aeróbica diretamente para a rua.

Mas o ciclo da moda tem destas coisas. Na realidade, é uma espécie de sistema solar, onde as peças e tendências têm rotas e órbitas diferentes — há as que nunca perdemos de vista e as que simplesmente desaparecem, seguindo uma trajetória rumo ao baú, e reaparecem anos depois. Estes calções, longe de serem consensuais, são das tais que exigem uma pausa. Saíram de cena e agora, ultrapassado o período de nojo, voltam a estar no horizonte, mas num novo milénio, um milénio em que nada destoa, tudo se mistura.

A prova de que Kim Kardashian é a campeã no que toca a sair à rua com calções de ciclista © Instagram.com/kimkardashian

E quem diria que, para além dos slip dresses e das t-shirts largas, os calções de ciclista poderiam ganhar outra sofisticação? Muito poucos ou mesmo ninguém, sobretudo por ainda sentirmos arrepios quando olhamos para a fotografia de Demi Moore nos Óscares de 1989. De calções de licra, decote generoso, saia de cauda e a dar tudo nos brocados, é caso para oferecer o salário milionário de Cristina Ferreira a quem conseguir, hoje, ser bem sucedido nesta combinação tão sui generis.

Calções elásticos e blazer eram, até há bem pouco tempo, a combinação mais insuspeita de sempre. Agora, é uma espécie de farda de streetstyle, replicada em todo o mundo. Há essas 20 mil réplicas e depois há Bella Hadid a parar o trânsito à sai do hotel, durante a Semana da Moda de Paris, em setembro do ano passado. Nunca uns calções de ciclista foram uma opção tão chique. Nas passerelles, também houve quem os afastasse do sportswear a que pertence. Dolce & Gabbana, Nina Ricci e Off-White puseram-nos a competir noutra liga, enquanto Tommy Hilfiger e Fenty x Puma mantiveram estas peças com a sua natureza evidentemente desportiva.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A conclusão só pode ser uma: os velhos calções elásticos nunca foram tão versáteis. Poemos mesmo chamar-lhes “melhores amigos”, porque estão sempre lá. Podem ir comprar o pão ao sábado de manhã, podem fazer um brilharete numa sexta-feira à noite (Bella Hadid também já o fez). Podem surgir debaixo de camisas longas, de vestidos e até de outros calções se o intuito for dar tudo nas camadas. Opções não faltam. Em ganga, licra, pele ou malha, dos básicos pretos que podem ser encontrados numa qualquer loja de desporto, às alternativas estampadas ou de acabamento metalizado, durante os próximos tempos, estes calções prometem ser uma segunda pele.

Na fotogaleria, reunimos alguns visuais inspiradores, a começar pelas celebridades, agora que parecem estar em pé de igualdade com os desfiles das principais semanas da moda mundiais. Das passerelles também não faltam referências, nem da criatividade que nos chega via street style. Quer abraçar a tendência? Também preparámos um pequeno guia de compras.