Quem anda pelas semanas da moda reais ou virtuais (aka Instagram, blogosfera e Pinterest) já tinha percebido que, mais dia menos dia, o Oeste americano voltaria a entrar-nos pelo guarda-roupa adentro. Este verão, as modelos, atrizes, influenciadoras já deram nas vistas com as suas botas texanas, de cano alto ou cano curto. E, se por um lado elas se prestam a recriam aquele estilo boémio e campestre, por outro, também assentam que nem uma luva nos visuais mais rebeldes, como é o caso do glam rock.

A modelo Rosie Huntington-Whiteley numa combinação difícil de ultrapassar: vestido curto, botas texanas e mala clássica

Depois de terem pisado passerelles, ruas e passadeiras vermelhas na reta final dos anos 90 e no início dos 2000, as texanas retiraram-se para um período de repouso. Agora, voltaram mais sofisticadas do que nunca. E não é preciso ir ao baú buscar os chapéus de cowboy, as calças à boca de sino, as camisas ao estilo do faroeste nem os cintos com fivelas XL (se bem que há sempre forma de montar o cenário completo sem parecer que vai para um baile de máscaras). Elas vêm mantendo os seus traços mais característicos, mas também reinventadas em materiais nunca antes vistos. Marcas como a Calvin Klein e a Coach querem fazer reviver o tempo dos pioneiros do sonho americano. Dolce & Gabbana, Armani e Fendi parecem estar de acordo e atacam o próximo outono-inverno com peças statement.

Outra possibilidade: de cano curto e com acabamentos simples. Estas são da Zara

Apesar de serem o item com mais frisson da moda atual, as botas texanas surgem em múltiplas versões, desde as mais tradicionais às mais estilizadas com aplicações de cristais, metais, correntes, pedrarias ou em materiais dissonantes como veludo, peles metalizadas, camurça em tons pastel. O modelo clássico pelo meio da perna também se desdobra em canos longos acima do joelho ou em canos curtos apenas até ao tornozelo  (que, aqui entre nós, é a versão mais fácil para o dia a dia e a melhor para combinar com jeans e blusão).

Vários criadores europeus viraram-se também para o oeste mas em modo menos selvagem e mais opulento, como a Dolce & Gabbana ou mais minimalista como a Maison Margiela ou mais boho como a Chloé. De qualquer forma elas são o statement mais importante dos próximos meses.

Na fotogaleria, reunimos algumas sugestões.