Manuais Escolares

A dois dias do regresso às aulas, aumentam as queixas por causa dos manuais escolares

O Portal da Queixa diz que o número de reclamações sobre os manuais escolares gratuitos aumentou 317% em relação ao ano passado. As principais queixas estão relacionadas com a emissão dos vouchers.

Getty Images/iStockphoto

O número de queixas relativas aos manuais escolares para o próximo ano letivo aumentou em 317% entre agosto e setembro, em relação ao mesmo período do ano passado, anunciou o Portal da Queixa, a maior rede social de interação entre consumidores de Portugal. Só o número de queixas contra o Ministério de Educação e Ciência aumentou 100%, para 118 reclamações, comparativamente com 2017. E o principal motivo é a plataforma MEGA, uma ferramenta lançada este ano que dá acesso gratuito aos manuais escolares.

A menos de uma semana para o arranque do novo ano letivo, o Portal da Queixa diz que o principal motivo das reclamações contra a plataforma é a emissão dos vouchers que permitem o acesso aos livros escolares pagos pelo Estado: segundo o comunicado da rede social, “há quem tenha feito o registo e não tenha recibo os vouchers e também existem casos em que os consumidores recebem o voucher e depois este é anulado”. Outro problema reportado pelos consumidores é “a impossibilidade de contacto para esclarecimentos e resolução dos seus problemas”. Outras reclamações são dirigidas às livrarias: “Os casos de insatisfação relacionados com a plataforma também se fazem sentir na entrega dos manuais escolares, com queixas dirigidas a livrarias aderentes ao programa MEGA”.

O Portal da Queixa prevê que o número de reclamações contra o Ministério da Educação continue a aumentar, não só porque “o ano letivo está à porta e os alunos sem manuais”, mas também “pelos problemas relacionados com matrículas e faltas de vagas escolares”.

site também reportou um número elevado de queixas contra a Book in Loop, que compra manuais escolares usados e em bom estado para voltar a vendê-los por um preço inferior aos livros novos: “Até aqui parece ser uma boa solução para gastar menos dinheiro, no entanto, têm surgido reclamações relacionadas com o mau estado dos livros adquiridos”, avisa o Portal da Queixa. Segundo o mesmo comunicado, 12 autarquias estabeleceram um negócio com a empresa Book in Loop: “Algumas autarquias estavam a contratar a empresa Book in Loop para comprar os manuais escolares usados”, garante.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Governo

Nunca haverá impostos que cheguem /premium

Helena Garrido
398

Manuais escolares e descentralização, ou como o Estado vai aumentando a despesa pública. São medidas que trazem custos certos e benefícios incertos ou nulos. Com a descentralização podemos até piorar.

Educação

O objeto da Física é o universo

Filipe Moura

Toda a argumentação que o autor apresenta em relação à Matemática pode ser desenvolvida em relação à Física, que historicamente é a única ciência natural que contribuiu para o progresso da Matemática.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)