Num golpe de marketing, em Singapura, a chinesa Huawei entregou cerca de 200 power banks a quem estava na fila para comprar os primeiros iPhone, cujas últimas versões acabam de ser apresentadas pela norte-americana Apple. Vários jovens com t-shirts com a marca chinesa abordaram os fãs da Apple que estavam “acampados” à porta da loja e entregaram-lhes, gratuitamente, o dispositivo que serve para armazenar energia e recarregar o smartphone em qualquer lugar — a ideia é satirizar o iPhone pela sua pretensa baixa autonomia.

“Aqui tem um powerbank. Vai precisar dele”, lia-se nas caixas que traziam os bancos de energia — um pouco mais abaixo, aparecia o logótipo da marca chinesa: “esta é uma cortesia da Huawei”. As imagens da iniciativa foram difundidas pela Tech360.tv e por outra publicação especializada, a Mothership. Foi a esta última publicação que um representante da Huawei confirmou que foram entregues cerca de 200 power banks, com cada aparelho a valer cerca de 50 euros.

O novo iPhone XS vem com uma bateria de 2.658mAh, ao passo que o P20 Pro, da Huawei, traz uma bateria com 4.000mAh. Ainda assim, não se pode estabelecer uma relação direta entre a capacidade da bateria e a autonomia efetiva, porque disso dependem fatores como a forma como o software gere a energia disponível.

A Huawei ultrapassou a Apple, na primavera, e tomou o lugar de segunda marca com mais vendas de smartphones em todo o mundo (o primeiro lugar pertence à Samsung, sul-coreana).