Benfica

CD confirma jogos à porta fechada para Benfica e Sp. Braga. Venda de bilhetes para o Benfica-FC Porto suspensa

240

O Conselho de Disciplina confirmou os castigos de um jogo à porta fechada para Benfica e Sp. Braga. Clube da Luz suspendeu a venda de bilhetes para o clássico contra o FC Porto.

LUSA

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) confirmou esta terça-feira os castigos de um jogo à porta fechada para o Benfica e Sporting de Braga, após analisar os recursos dos dois clubes. Em causa estão processos relacionados com o mau comportamento dos adeptos na época passada. Ambos os clubes já anunciaram que vão recorrer, através de uma providência cautelar ao Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).

O Benfica anunciou, entretanto, que suspendeu a venda de bilhetes para o próximo jogo no Estádio da Luz, contra o FC Porto, a 7 de outubro, um dos que podia ser à porta fechada. Os bilhetes seriam colocados à venda esta quarta-feira.

Em face da decisão hoje tomada pela Federação Portuguesa de Futebol, através do Conselho de Disciplina, de considerar improcedente o recurso do castigo aplicado de um jogo à porta fechada no Estádio da Luz, a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa todos os Sócios e adeptos que decidiu suspender a venda de bilhetes programada para se iniciar amanhã, quarta-feira, referente ao próximo jogo no Estádio da Luz, o Benfica-FC Porto do dia 7 de outubro a contar para a Liga NOS”, disse o clube em comunicado na página oficial.

Já o Sporting de Braga joga em casa no dia 6 de outubro, contra o Rio Ave.

Em causa estão processos relativos à época passada, quando a Comissão de Instrutores da Liga decidiu que existiram violações passíveis de interdição dos estádios. No caso do Benfica, o castigo diz respeito à reincidência no arremesso perigoso de objetos com reflexo no jogo na mesma temporada. Esta punição com um jogo à porta fechada acumula com uma outra anunciada no mês passado pelo IPDJ, devido à ilegalidade das claques do Benfica.

Em relação ao Sporting de Braga, o CD confirmou a punição do clube devido a “agressões simples com reflexo no jogo por período igual ou inferior a 10 minutos”, neste caso no jogo contra o Sporting. Já o Paços de Ferreira, que também foi punido, cumpriu a pena frente ao Desportivo das Aves.

Caso o TAD aceite a providência cautelar apresentada pelos dois clubes, a decisão final pode demorar meses. Se for recusada, a interdição é aplicada automaticamente.

Benfica fala em “decisão de enorme gravidade”

O Benfica já reagiu à decisão e, através de um comunicado publicado no seu site oficial, entendeu como “séria e muita grave a decisão da Federação Portuguesa de Futebol”, acrescentando que vai avançar “de imediato com o devido procedimento cautelar, junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), com vista à suspensão dos efeitos da decisão em causa e posterior impugnação da mesma”.

O direção do clube anunciou ainda que vai tornar pública “uma posição sobre esta matéria junto dos Sócios na próxima Assembleia Geral do Clube, que se realiza sexta-feira, dia 28 de setembro”.

Leia o comunicado na íntegra:

A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD entende como séria e muita grave a decisão da Federação Portuguesa de Futebol, através do Conselho de Disciplina, de considerar improcedente o seu recurso do castigo aplicado de um jogo à porta fechada no Estádio da Luz.
Informamos que avançaremos de imediato com o devido procedimento cautelar, junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), com vista à suspensão dos efeitos da decisão em causa e posterior impugnação da mesma.

A Direção do Sport Lisboa e Benfica tornará pública uma posição sobre esta matéria junto dos Sócios na próxima Assembleia Geral do Clube, que se realiza sexta-feira, dia 28 de setembro.

Sp. Braga: “O CD faz tábua rasa dos argumentos” do clube

Também o Sporting de Braga, alguns minutos depois, anunciou que foi notificado da decisão do Conselho de Disciplina e que vai recorrer da decisão.

Na decisão proferida, o Pleno do Conselho de Disciplina faz tábua rasa dos argumentos aduzidos pela SC Braga, SAD em sede de defesa, passando por isso ao lado da lei e dos princípios que norteiam o direito sancionatório em qualquer Estado de Direito democrático”, referiu o clube numa nota publicada no seu site

Segundo o clube minhoto, o CD “insiste” em castigar o Braga, “sem prova alguma de que a Sociedade Desportiva tenha contribuído para tais atos, ou que, pelo menos, nada tenha feito para os evitar.

Leia o comunicado na íntegra: 

A SC Braga, SAD foi esta terça-feira notificada da decisão do Pleno do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, que ratificou a punição de um jogo à porta fechada no Estádio Municipal de Braga.

Na decisão proferida, o Pleno do Conselho de Disciplina faz tábua rasa dos argumentos aduzidos pela SC Braga, SAD em sede de defesa, passando por isso ao lado da lei e dos princípios que norteiam o direito sancionatório em qualquer Estado de Direito democrático. Insiste o CD em sancionar a SC Braga, SAD por um ato eventualmente praticado pelos seus adeptos, sem prova alguma de que a Sociedade Desportiva tenha contribuído para tais atos ou que, pelo menos, nada tenha feito para os evitar.

Para mais quando, recorde-se, em causa está um ato inesperado, do qual não resultaram consequências efetivas para terceiros nem para o normal decurso do jogo.

Por manter o entendimento de que o castigo imposto é desproporcional aos atos relatados, e conforme já havia denunciado no passado dia 11, a SAD apresentará recurso junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), requerendo efeitos suspensivos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)