Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já passaram uns meses desde que Meghan Markle e o príncipe Harry deram o nó, mas só agora estão a fazer a sua primeira tour mundial. Depois de já terem anunciado que estão à espera do primeiro filho, o casal real voltou a aparecer nas notícias. Desta vez por motivos menos importantes, mas que estão a gerar conversa um pouco por todo o lado.

A primeira paragem desta viagem foi na Austrália e foi durante uma visita a uma praia em Melbourne que todos repararam em dois pormenores muito particulares: o misterioso anel do príncipe e os sapatos da duquesa de Sussex.

Um círculo preto à volta do dedo anelar da mão direita: foi este detalhe que chamou à atenção de todos. Seria uma prenda dada por Meghan? Uma peça de valor sentimental? Nenhum dos dois, na verdade. A revista People confirmou que se trata de um anel que monitoriza o sono e a atividade física de quem o usa, partilhando essas informações com uma app instalada num smartphone. Segundo a mesma publicação, este dispositivo é da marca Oura e é o modelo “Heritage”, feito totalmente em titânio. Custa cerca de 260€ e pode ser comprado no site oficial da marca.

Outro pormenor interessante é o facto de Harry usar a aliança dada por Meghan no casamento. Pode parecer lógico mas é uma rutura com a tradição, já que não é comum ter homens da família real a utilizarem os anéis de matrimónio — o príncipe William e o príncipe Filipe (o avô de Harry) não a usam, ao contrário de Carlos, que sempre a usou, tanto quando esteve casado com Diana como agora, com Camilla Parker Bowles.

[Veja o vídeo: Como Harry e Meghan estão a encantar a Austrália]

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No caso de Meghan, porém, a curiosidade despertada teve a ver com o que a Duquesa trazia calçado. Trocou os habituais sapatos de salto alto por uma espécie de sabrinas, algo que já começa a tornar-se hábito. Com os Manolo Blahnik de lado, Markle usou um modelo raso, preto, ligeiramente pontiagudo, da marca Rothy’s. Até aqui, nada de mais, acontece que todo o calçado desta marca — nem por isso popular, pelo menos até agora — é 100% reciclada e feita a partir de garrafas de plástico usadas, que são lavadas com água quente, esterilizadas e depois transformadas na fibra que é usada no fabrico dos sapatos. No total, a empresa diz que já reutilizou cerca de 12 milhões de garrafas, número que certamente irá aumentar agora que todos os fãs da casa real britânica viram e gostaram.