O Presidente do Sri Lanka suspendeu este sábado o parlamento até 16 de novembro, apesar de o primeiro-ministro que demitiu afirmar ter o apoio da maioria.

Chaminda Gamage, um porta-voz do presidente do parlamento, confirmou hoje a ação do Presidente Maithripala Sirisena.

A suspensão ocorreu enquanto o primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe, dava uma conferência de imprensa, na qual afirmava poder provar que tinha apoio maioritário no parlamento.

Sirisena demitiu Wickremesinghe e o seu gabinete na sexta-feira, substituindo-o por um ex-homem-forte, criando o que alguns observadores consideram poder vir a ser uma crise constitucional naquele país insular do sul da Ásia.

Sirisena informou Wickremesinghe de que seria substituído pelo seu antigo inimigo, Mahinda Rajapaksa.