NOS Alive

The Smashing Pumpkins vão atuar na próxima edição do festival NOS Alive

146

A banda americana vai tocar no último dia do festival do Passeio Marítimo de Algés, a 13 de julho do próximo ano. A última vez que estiveram em Portugal foi em 2013.

NOS Alive

Os The Smashing Pumpkins vão subir ao palco no último dia do festival NOS Alive, a 13 de julho de 2019. O anúncio foi feito pela organização esta segunda-feira. A banda americana regressa assim ao festival NOS Alive, onde esteve em 2007, na primeira edição do então ainda chamado Optimus Alive.

A banda lendária de rock alternativo traz a Portugal a apresentação do seu último álbum Shiny and Oh So Bright, Vol. 1 / LP: No Past. No Future. No Sun, que é o primeiro trabalho estruturado de estúdio do grupo em 18 anos (depois do projeto discográfico Teargarden by Kaleidyscope, que deu origem a dois discos, Oceania e Monuments to an Elegy) e reúne os membros fundadores Billy Corgan, James Iha, Jimmy Chamberlin e o guitarrista Jeff Schroeder.

Formados em 1988, os The Smashing Pumpkins lançaram o primeiro álbum Gish em 1991. Em 1995, com o disco Mellon Collie and the Infinite Sadness atingiram a marca multi-platina por 10 vezes.  Com mais de 30 milhões de álbuns vendidos até à data, a banda americana é detentora de vários prémios, entre eles Grammy, MTV VMA e American Music Award. Hoje em dia são consideradas umas das mais importantes de bandas de rock alternativo dos anos 1990.

A banca americana tocou pela última vez em Portugal em 2013 no festival Marés Vivas. Um ano antes, os The Smashing Pumpkins tinham atuado no Rock in Rio Lisboa.

A 13ª edição do NOS Alive decorre nos dias 11, 12 e 13 de julho do próximo ano no Passeio Marítimo de Algés. Para a próxima edição estavam já confirmada a presença dos The Cure e Bon Iver.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)