“Um mundo encantado de Inverno em Marte.” Foi assim que a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla original) classificou o cenário captado pela sua missão Mars Express, divulgadas esta sexta-feira, da cratera Korolev totalmente coberta por uma camada de gelo que, à distância, quase parece neve.

Localizada no pólo Norte — não o da Terra, mas o de Marte —, a cratera Korolev tem 82 quilómetros de diâmetro e 1,8 quilómetros de profundidade. Foi batizada em homenagem ao engenheiro aeroespacial Sergei Korolev, considerado o “pai” do programa espacial soviético.

O fenómeno de gelo na cratera Korolev é, como explica a ESA, aquilo a que se chama uma “armadilha fria”. O gelo contido no fundo da cratera como que atrai o ar que se movimenta à superfície, que acaba por arrefecer e “pousar” sobre a cratera, criando uma camada de gelo perfeita onde se poderia patinar com toda a tranquilidade. “A camada comporta-se como um escudo que mantém o gelo estável e impede que aqueça e desapareça”, explica a Agência.

O ar é um mau condutor de calor, o que faz com que este efeito seja exacerbado e a cratera Korolev se mantenha permanentemente gelada”, acrescenta a ESA.

A ESA decidiu divulgar as imagens captadas pela Mars Express em “celebração” de um marco histórico relacionado com a missão, que foi lançada a dois de junho de 2003. O satélite chegou a Marte seis meses depois, tendo entrado na órbita do Planeta Vermelho precisamente a 25 de dezembro. A Agência celebra assim a data com a partilha de um cenário mágico, digno de qualquer Natal.