Bilhetes do Tesouro

Portugal emite esta quarta-feira até 1.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses

Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para emitir até 1.250 milhões de euros em dois leilões de Bilhetes de Tesouro a seis e 12 meses.

Nos anteriores leilões comparáveis, em 16 de janeiro, Portugal colocou 1.750 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes ao Tesouro a seis e 12 meses

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para emitir até 1.500 milhões de euros nos segundos leilões deste ano de Bilhetes de Tesouro (BT) a seis e a 12 meses.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) informou que os BT a serem leiloados esta quarta-feira têm maturidades em setembro de 2019 (seis meses) e em março de 2020 (12 meses) e que o montante indicativo global é de entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros.

Nos anteriores leilões comparáveis, em 16 de janeiro, Portugal colocou 1.750 milhões de euros, montante máximo anunciado, em BT a seis e 12 meses, com taxas de juro negativas e a descerem face aos anteriores leilões comparáveis.

A 12 meses foram colocados 1.250 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,360%, de novo negativa e inferior à registada em 21 de novembro de 2018, quando foram colocados 650 milhões de euros a -0,327%.

A seis meses foram colocados 500 milhões de euros em BT à taxa média de -0,399%, mais negativa do que a verificada em 21 de novembro do ano passado, quando foram colocados 350 milhões de euros a -0,369%.

A procura atingiu 2.275 milhões de euros para os BT a 12 meses, 1,82 vezes superior ao montante colocado, e 1.000 milhões de euros para os BT a seis meses, o dobro do montante colocado.

Em 17 de janeiro de 2018, as taxas de juro médias dos BT a seis e 12 meses caíram até aos mínimos de sempre de -0,425% e -0,398%, respetivamente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)