Em 2017, no décimo aniversário do lançamento do primeiro iPhone, a Apple mostrou o X, o smartwatch Series 3 e um carregador sem fios para isso tudo: o AirPower. Mostrou uma imagem (a que está no topo) e afirmou que este carregava até três equipamentos ao mesmo tempo (também os AirPod, os auriculares sem fios da Apple). A empresa tinha prometido que “em 2018” ia lançar o esperado carregador que, sem fios, carregava os iPhone mais recentes. Foi sempre esperado em cada evento, mas agora foi cancelado de vez.

Segundo o TechCrunch, que avançou a notícia, a Apple afirma que “concluiu que o AirPower não ia alcançar os elevados padrões” da empresa. A empresa fundada por Steve Jobs adiantou, contudo, que acredita que o futuro é “sem fios” e vai continuar a apostar nestas tecnologias.

O AirPower foi um dos produtos anunciados em 2017 que justificava a aposta da Apple em largar algumas funcionalidades dos iPhone, como uma entrada de auriculares tradicionais com fios. Este dispositivo permitia à empresa continuar a seguir a filosofia de reduzir ao máximo o número de cabos nos dispositivos, na construção aparelhos.

O mesmo jornal afirma que a Apple não vai lançar o AirPower por “um problema com as leis da física”. Para funcionar, as bobinas de carregamento 3D para vários dispositivos tinham de ficar muito perto um componente de energia. Essa proximidades fazia com que o AirPower aquecesse em demasia, tornando inviável lançar o produto com o design pretendido.

É bastante raro a Apple cancelar produtos, principalmente um que já foi anunciado. Nos últimos meses, a empresa tem tido bastantes críticas pela forma como são construídos alguns componentes dos seus dispositivos. A principal queixa tem sido dirigida aos teclados dos novos MacBook, criticados por problemas com teclas presas. Neste caso, Apple assumiu a falha e disse que está em trabalhar em melhorar os teclados.

[No Twitter têm sido recorrentes as queixas relativas aos novos teclados da Apple, que já não são como os dos MacBook Air de 2017]

Apesar de a Apple já não ir lançar este produto, há empresas que fabricam carregadores sem fios para vários dispositivos ao mesmo tempo que funcionam com os aparelhos da tecnológica americana. Outras empresas concorrentes da Apple, como a Samsung, a Huawei ou a Xiaomi, também têm apostado em equipamentos com carregamento por indução sem fios, mas todas lançaram carregadores com o nome das próprias marcas.

Esta segunda-feira, numa nova estratégia de negócio, a Apple anunciou novos serviços de software, num evento que não teve lançamento de dispositivos (o que também é raro com a empresa). Um cartão de crédito, um concorrente do Netflix e uma subscrição de revistas foram as novidades.