O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting anunciou esta quarta-feira, através de comunicado colocado no site oficial dos leões, que vai abrir um “inquérito prévio” aos resultados da auditoria a clube e SAD feita pela Baker Tilly.

254 páginas da SAD, 137 do clube: a auditoria que divide o Sporting (e que ninguém sabe de onde saiu)

A medida foi tomada “face à gravidade dos factos dos mesmos constantes, da sua relevância disciplinar e da necessidade de apuramento rigoroso das responsabilidades individuais pela prática dos mesmos”, como explica a missiva.

Varandas acerta contas com o passado: negócios duvidosos, gestão irresponsável e um “mentiroso compulsivo”

Em paralelo, o órgão liderado por Joaquim Baltazar Pinto anunciou que vai pedir à Direção presidida por Frederico Varandas, “o envio do inquérito interno à divulgação não autorizada dos aludidos relatórios logo que o mesmo se encontre concluído”.

Varandas faz queixa à PJ por fuga da auditoria e lança ataque aos críticos… com resultados da auditoria

De referir que, ao longo de quase 400 páginas que entretanto chegaram ao domínio público, a auditora coloca reservas em relação a alguns negócios feitos durante o mandato do anterior presidente, Bruno de Carvalho. As conclusões do trabalho foram também enviadas pela Direção do Sporting para o Ministério Público.

O que salta à vista na auditoria forense ao Sporting: o contrato de Acuña, o milhão em notas em Alvalade e outro perdido no scouting