Rádio Observador

FC Porto

“Sérgio Conceição será o treinador pelo menos mais dois anos”, garante Pinto da Costa

292

Na segunda parte da entrevista ao jornal O Jogo, Pinto da Costa, líder do FC Porto, garante continuidade do treinador, diz não existirem problemas com as claques e fala de João Félix... e Fábio Silva.

Pinto da Costa garante Sérgio Conceição por mais dois anos – que não são mais porque entretanto termina o mandato

JOSÉ COELHO/LUSA

A primeira parte da entrevista de Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, ao jornal O Jogo, publicada esta terça-feira, valeu não só resposta do rival Benfica mas também a instauração de um processo disciplinar por parte do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (ainda que nomeando apenas “dirigente desportivo, com base em declarações proferidas à comunicação social”). Na segunda, publicada hoje, o futebol assume quase toda a conversa mas nem por isso o número 1 dos dragões deixa de criticar as atuações de árbitros e VAR quando fala sobre a continuidade de Sérgio Conceição.

“Há pouco tempo ele [Sérgio Conceição] renovou contrato e não é para o ano, é para mais dois. E não renovou para mais três porque o meu mandato acaba entretanto e essas coisas estão interligadas. O que li e o que ele me disse a mim é que estaria sempre de alma e coração no FC Porto, que é o seu clube, enquanto eu entendesse. No dia em que eu não quisesse ou que entendesse que era melhor ele sair, faria as malas e sairia sem qualquer indemnização. Isso é totalmente diferente de dizer que ele exigiu condições para disputar títulos”, destaca num cenário que não muda com o desfecho da final da Taça de Portugal. “A saída não é assunto e espero que, daqui a dois anos, seja eu ou quem cá estiver, tenha a possibilidade e o bom senso de renovar com ele. Foi ele que foi tirar os padres à sacristia para estes jogos? Não foi”, acrescenta.

“Como se pode garantir isso [disputar títulos] ao Sérgio Conceição quando vemos o que aconteceu na Vila da Feira, em Braga ou em Vila do Conde? Quando foi o Calabote pensávamos que não voltava a acontecer. É o Sérgio que tem culpa que o senhor Bruno Paixão vá para o VAR na Vila da Feira ou o senhor João Pinheiro seja VAR em Braga ou o senhor Luís Godinho seja VAR em Vila do Conde? A culpa não é dele nem é minha. O Sérgio Conceição será treinador pelo menos mais dois anos, que são os que tem de contrato”, reforça o presidente dos azuis e brancos, voltando ao tema dos três jogos que para si decidiram o Campeonato.

Em paralelo, Pinto da Costa recusou a ideis de que existam problemas entre as claques e o plantel, sobretudo depois da tensão no final do empate dos dragões frente ao Rio Ave onde foi visível a contestação à equipa. “Não sei a que tipo de problemas se refere, talvez esteja a falar do pequeno desacordo que houve em Vila do Conde, da claque com os jogadores e técnicos. Isso é perfeitamente normal e não atingiu o espírito do grupo. A prova disso foi o apoio que a claque manteve nos dois jogos seguintes”, comenta, completando que, na sua ótica, a roda entre jogadores, treinadores e staff no final do encontro no relvado “deve ser feita no meio” e colocando algum humor à mistura a propósito da reação de Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, em Vila do Conde: “Tirar o casaco e a camisola? Quando muito é um confronto com o alfaiate”.

Por fim, e a propósito da saída de João Félix do FC Porto para o Benfica na formação, Pinto da Costa deu o exemplo contrário que se passou com Fábio Silva, avançado campeão europeu de juniores pelo clube que esteve agora no Europeu Sub-17: “[João Félix] Saiu do FC Porto para o Benfica mas na altura não era o que é hoje. Naturalmente, como não estava satisfeito nem a ter aproveitamento, foi para o Benfica. Sei quem o levou para lá, um indivíduo que se diz portista, o Manuel Moreira de Sá. E sei que não foi à primeira que o aceitaram. O craque dos nossos Sub-17, o Fábio Silva, sabem de onde veio? Do Benfica”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)