Cinema

Quatro filmes para ver esta semana

"Hotel Mumbai", mais um "western" sobre Billy the Kid, "Sai de Baixo: O Filme" e a nova versão com actores de "Aladdin", da Disney, com Will Smith, são as escolhas de Eurico de Barros esta semana.

Armie Hammer numa cena de "Hotel Mumbai", realizado pelo australiano Anthony Maras

Autor
  • Eurico de Barros

“Hotel Mumbai”

Uma recriação eficaz e consistentemente tensa do ataque terrorista ao luxuoso Hotel Taj Mahal de Mumbai, em Novembro de 2008, um dos vários alvos escolhidos pelo grupo de terroristas islâmicos que durante alguns dias espalhou o pânico e a morte naquela metrópole indiana. Baseando-se num documentário feito algum tempo depois dos ataques, o australiano Anthony Maras combina factos e ficção, personagens reais e inventadas, e concentra-se na situação no interior do hotel, acompanhando os terroristas e vários hóspedes e funcionários do mesmo, que por vezes com o sacrifício das próprias vidas, procuraram manter os clientes em segurança. O elenco inclui Armie Hammer, Jason Isaacs e Dev Patel (também produtor) num empregado de mesa que faz jus ao lema do Taj Mahal: “Os hóspedes são deuses”.

“A Lenda de Billy the Kid”

Dos vários Billy the Kid que o cinema já nos deu, Dane DeHaan, que o interpreta neste “western” realizado pelo ator Vincent D’Onofrio, é o mais parecido de todos com o jovem e mitificado pistoleiro, que foi morto pelo xerife, e seu antigo amigo, Pat Garrett. Tirando este pormenor, “A Lenda de Billy the Kid”, filmado do ponto de vista de um adolescente, Rio (Jake Schur), que conhece Billy quando está em fuga, acompanhado pela irmã, de um parente cruel, é uma fita sem chama nem imaginação, com um Ethan Hawke muito pouco à-vontade e convicto no papel de Garrett e Chris Pratt a canastrar no vilão da história. Já não se fazem mesmo “westerns” como dantes.

“Sai de Baixo: O Filme”

A popular série de comédia brasileira que desde 1996 passa na TV Globo salta agora para o cinema, com os indispensáveis Miguel Falabella, Tom Cavalcante, Marisa Orth, Aracy Balabanian e Luis Gustavo interpretando Caco, Ribamar, Magda, Cassandra e Vavá. Nesta fita realizada por Cris D’Amato, Caco, que saiu da cadeia, e Magda, que trabalha num “call center”, estão falidos e são obrigados a viver na casa do porteiro, e veem-se obrigados a transportar duas malas cheias de pedras preciosas para fora do Brasil, fruto de uma chantagem de uma prima rica e corrupta. E vão pedir ajuda a Ribamar, à mulher deste, uma preguiçosa manicura, e ao resto da família.

“Aladdin”

O inglês Guy Ritchie assina este versão com atores e efeitos digitais do clássico de animação da Disney lançado em 1992 e realizado por John Musker e Ron Clements, no qual Robin Williams dá, de forma inesquecível, voz ao Génio da Lâmpada. Will Smith sucede-lhe neste novo “Aladdin”, que mantém a banda sonora composta por Alan Menken para a animação original, vencedora do respetivo Óscar, bem como do de Melhor Canção Original (“A Whole New World”). Mena Massoud, Naomi Scott e Marwan Kenzari interpretam os restantes papéis principais. “Aladdin” foi escolhido como filme da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

PAN

A culpa como arma final /premium

André Abrantes Amaral

Antes o pecador ia para o Inferno; agora destrói a Terra. A Igreja falava em nome de Deus; o PAN fala em nome do planeta. Onde foi buscar tal ideia é o que a democracia tem tido dificuldade em perguntar

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)