O Sporting anunciou esta sexta-feira a realização de duas Assembleia Gerais entre o final de junho e o início de julho com objetivos diferentes, sendo que a primeira será ordinária e a segunda terá caráter extraordinário.

Assim,os leões terão a primeira Assembleia Geral no dia 29 de junho, sábado, para “aprovação do orçamento de rendimentos, gastos e investimentos do exercício económico acompanhado do plano de atividades e do parecer do Conselho Fiscal e Disciplinar, prevista no artigo n.º 50 da alínea a) dos estatutos do clube”. Ou seja, dentro do limite previsto em termos estatutários, será votado o orçamento global do clube para a temporada 2019/20.

Uma semana depois, a 6 de julho, haverá uma outra reunião magna “destinada a apreciar os recursos, interpostos para Assembleia Geral, das deliberações de expulsão tomadas pelo Conselho Fiscal e Disciplinar”. Ou seja, Bruno de Carvalho, antigo presidente do clube verde e branco, e Alexandre Godinho, ex-vogal da direção, poderão defender-se e, em caso de votação maioritária dos associados presentes (50% mais um), poderão revogar a deliberação de expulsão.

De referir que, nessa mesma semana e num assunto não diretamente ligado, Bruno de Carvalho será ouvido no início da fase de instrução do processo relativo ao ataque à Academia do Sporting, em Alcochete (dia 3, às 14 horas).