É uma onda de calor “potencialmente perigosa” a que se prevê atingir a Europa na próxima semana, sobretudo a partir de quarta ou quinta-feira. Uma massa de ar quente vinda de África vai fazer disparar as temperaturas, que vão estar muito acima do habitual para o mês de junho, sobretudo em países como Espanha, França, Alemanha ou até Reino Unido, onde os termómetros poderão passar dos 35 graus em pelo menos um dia da semana. Mas Portugal é exceção, com as temperaturas a manterem-se entre os 23 e os 26 graus.

O aviso é do Accuweather. “Grande parte da Europa vai viver pelo menos um dia de intenso calor na próxima semana, com especial incidência em Espanha, França e Alemanha”, lê-se no comunicado da empresa de meteorologia, onde se explica que a onda de calor se deve à combinação de uma tempestade sobre o Oceano Atlântico com uma alta pressão sobre a Europa Central e oriental, que, juntas, puxam ar quente de África para o norte, atingindo em cheio o centro da Europa. “Isto criará as condições para uma onda de calor potencialmente perigosa que atingirá uma grande parte do centro e leste da Europa“, lê-se ainda.

Segundo o mesmo comunicado, cidades como Madrid, Paris, Bruxelas, Frankfurt, Berlim, Milão, Praga ou Zurique podem esperar temperaturas na ordem dos 32 graus, sendo que entre quarta e quinta-feira os termómetros podem atingir os 38 graus centígrados. Com isto, estima-se que esta semana se atinja nestas cidades as temperaturas mais altas do ano — até aqui.

A onda de calor já chegou a Madrid este sábado, que registou 32 graus, e vai agora começar a espalhar-se, chegando a França já na segunda-feira. Na terça-feira, o site de meteorologia prevê que a vaga já tenha chegado a Berlim e Milão, aumentando ainda mais na quarta e quinta-feira.

Tendo começado em Espanha e estando a caminhar no sentido oriental (para este), Portugal vai assim escapar à onda de calor, tal como o norte da Europa (ainda que algumas cidades do sul do Reino Unido, incluindo Londres, não escapem).

Segundo o Accuweather, em Lisboa as temperaturas não vão ultrapassar 24 graus para a semana, e no Porto não ultrapassam os 23.

Os conselhos, portanto, vão para o resto da Europa. “Múltiplos dias de calor extremo, combinado com noites quentes, não vão permitir que casas sem ar condicionado arrefeçam, o que vai criar condições desconfortáveis para dormir à noite e vai aumentar o risco de doenças relacionadas com o calor elevado”, lê-se no mesmo comunicado.