É oficial: o Sporting chegou a um princípio de acordo com os alemães do Eintracht Frankfurt para a saída a título definitivo de Bas Dost. “A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informa que chegou a um princípio de acordo com o Eintracht Frankfurt para a venda a título definitivo dos direitos desportivos do jogador Bas Dost”, anunciou o clube de Alvalade numa curta nota publicada no site oficial. O avançado holandês deixa os leões depois de três temporadas e mais de 90 golos marcados ao longo de mais de 100 jogos para todas as competições.

Depois de uma estreia impressionante, terminando a primeira temporada em Portugal com 36 golos e perdendo por pouco a corrida à Bota de Ouro europeia para Messi, Dost manteve o ritmo goleador no segundo ano em Alvalade, o último de Jorge Jesus no comando técnico do Sporting. No seguimento das agressões na Academia a meio de maio do ano passado, o holandês rescindiu de forma unilateral com o clube — assim como outros jogadores — e foi um dos vários atletas que aceitaram regressar à equipa quando a Comissão de Gestão liderada por Sousa Cintra ficou responsável pelos destinos dos leões. Bas Dost, que em 2016 se tornou a contratação mais cara da história do Sporting (custou 10 milhões de euros), passou nessa a altura a ser o jogador mais bem pago do plantel leonino, passando a auferir cerca de três milhões/ano.

O elevado vencimento do avançado holandês, que na última temporada perdeu fulgor e até espaço na equipa — Luiz Phellype chegou e conquistou a titularidade em inúmeras ocasiões, muito graças às lesões e à irregularidade de Dost –, levaram o Sporting a colocar em cima da mesa a venda do jogador no atual mercado de verão. O avançado, que tinha contrato até junho de 2021, recusou todas as propostas da SAD leonina que visavam uma diminuição salarial e rejeitou a possibilidade de uma ida para a China ou para o México, por querer continuar a atuar em ligas competitivas, e também da Rússia e da Turquia, por exigir pelo menos os mesmos três milhões anuais que recebe em Alvalade.

Sem valores confirmados — a cláusula de rescisão de Bas Dost estava nos 60 milhões de euros –, o holandês segue para o Eintracht Frankfurt e regressa à Alemanha, onde jogou entre 2012 e 2016, sempre ao serviço do Wolfsburgo. Quanto ao Sporting, encerra um dossiê que estava em stand by, corta de forma considerável no orçamento mas perde uma das grandes referências do passado recente, assim como uma solução sempre importante nas contas de Marcel Keizer.