A novela Bruno Fernandes que se prolongou ao longo de várias semanas (e com capítulos quase finais, como o acordo total que havia entre o médio e o Tottenham antes de nova recusa da oferta de 60 milhões) parece ter saído em definitivo de cena mas nem por isso o Sporting vai deixar de assegurar dois importantes encaixes financeiros nas próximas horas: Raphinha já está em França para realizar exames médicos e assinar pelo Rennes, ao mesmo tempo que se encontra quase fechado um acordo entre os leões e os gregos do Olympiacos pela “transferência” de Daniel Podence após a rescisão unilateral no ano passado.

Em paralelo, e quando estamos na antecâmara do último dia de mercado, a SAD verde e branca continua à procura de fechar não um mas dois reforços esta segunda-feira: sendo certo que chegará a Alvalade mais um avançado para colmatar a saída de Bas Dost para o Eintracht Frankfurt (sendo que o holandês chegou, entrou ao intervalo e demorou menos de dez minutos a marcar no triunfo frente ao Fortuna Düsseldorf, com o outro golo a ser apontado por Gonçalo Paciência), pode também haver um cara nova para as alas, um desejo antigo de Marcel Keizer que ganhou outro peso com a mais do que provável saída de Raphinha.

O extremo brasileiro, contratado no verão de 2018 pelo Sporting por 6,5 milhões de euros ao V. Guimarães (depois de já ter estado muito próximo de reforçar os leões em janeiro), estava o ter o melhor início de tempo, sendo totalista nos quatro encontros do Campeonato até ao momento e com dois golos marcados, ambos no triunfo frente ao Portimonense. Nas últimas semanas, dois clubes manifestaram interesse no jogador de 22 anos: Fiorentina, que numa primeira fase propôs um empréstimo com opção de compra obrigatória que renderia até final de 2020 16 milhões de euros e depois tentou ficar desde logo com o passe do brasileiro, e Rennes, que na última investida não tinha passado dos 15 a 17 milhões de euros. Agora, Raphinha vai chegar ao conjunto francês por cerca de 20 milhões de euros, mais algumas cláusulas de objetivos que deverão entretanto ser fechadas.

A saída acaba ainda assim por ser inesperada pelo timing: além da importância crescente que o ex-vimaranense ganhou nas opções de Marcel Keizer, as propostas recusadas pelo jogador (que curiosamente é agenciado pelo antigo internacional português Deco) faziam antever que ficasse pelo menos mais uma temporada em Alvalade, algo que já era assumido pelo brasileiro. Uma coisa é certa: a confirmar-se os valores avançados pela imprensa francesa, que colocam a fasquia ligeiramente acima dos 20 milhões de euros, será a sexta maior venda de sempre do clube, apenas superada por João Mário (Inter, 2016), Slimani (Leicester, 2016), Nani (Manchester United, 2007), Adrien (Leicester, 2018) e, este ano, Gelson Martins (após acordo com o Atl. Madrid).

Num outro âmbito, a chegada de Bruno Gaspar por empréstimo ao Olympiacos servirá também para chegar a um acordo com o clube grego em relação a Daniel Podence. O avançado português, que foi o segundo jogador leonino a rescindir de forma unilateral no mesmo dia de Rui Patrício (1 de junho de 2018), chegou à formação orientada por Pedro Martins no último verão e havia um processo a decorrer na Justiça onde os verde e brancos exigiam mais de 60 milhões de euros pela saída. Caso seja mesmo consumado e oficializado, esse negócio deverá render mais de cinco milhões de euros ao Sporting. Já o lateral que esteve apenas uma temporada em Alvalade vai fazer uma época por empréstimo mas ficará com cláusula de opção de compra.

Em atualização