Os preços da produção industrial registaram, em julho, uma ligeira subida, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), mas Portugal voltou a conhecer um recuo, o segundo maior entre os Estados-membros, divulgou o Eurostat.

Segundo os dados publicados esta terça-feira pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, na comparação com julho de 2018, os preços na produção industrial subiram em julho deste ano 0,2% no espaço da moeda única e 0,6% no conjunto dos 28 Estados-membros.

Portugal contrariou a tendência e, depois de em junho já ter sido o terceiro país com a maior diminuição homóloga (-1,1%), em julho teve o segundo maior recuo, de -1,3% face a um ano antes, apenas superado pela Dinamarca (-3%). As maiores subidas homólogas foram, por seu turno, registadas na Roménia (+6,2%), na Bulgária e na Letónia (4%, em ambos os casos).

Já em termos mensais, na comparação com junho deste ano, os preços na produção industrial subiram também 0,2% na zona euro, enquanto no conjunto da UE progrediram 0,3%. Portugal teve, também na variação em cadeia, uma ligeira subida de 0,2%, em linha com a média verificada na zona euro.

Entre os restantes Estados-membros, os maiores recuos mensais nos preços da produção industrial verificaram-se na Bélgica (-1,0%), Holanda (-0,4%) e Letónia (-0,3%), enquanto os aumentos mais significativos foram observados em Chipre (+1,7%), Bulgária (1,5%) e Finlândia (1,4%).