Rádio Observador

Michael Schumacher

Schumacher estará a ser sujeito a um tratamento inovador com células estaminais em França

199

O antigo piloto alemão, que sofreu um grave acidente em 2013, terá dado entrada esta segunda-feira num hospital parisiense, para ser tratado por uma "sumidade" em terapias celulares.

DIEGO AZUBEL/EPA

Há cinco anos e meio que a vida de Michael Schumacher mudou radicalmente: depois de uma carreira de brilhantismo (para alguns, sem igual) na Fórmula 1, o piloto alemão sofreu um grave acidente nos Alpes Franceses, enquanto fazia esqui, que o deixou várias semanas em coma induzido, que motivou cirurgias consecutivas e que remeteu Schumacher a casa e ao afastamento do olhar do público.

As notícias sobre o estado de saúde do alemão são quase inexistentes desde o acidente. Conhecem-se apenas rumores e relatos de alguns, poucos, elementos próximos, como Jean Todt, antigo CEO da Ferrari e atual presidente da FIA que afirmou ver corridas de Fórmula 1 em casa do antigo piloto e na sua companhia. Schumacher, apontou Todt, continua a lutar, mesmo estando ainda seriamente debilitado. Agora, o antigo piloto estará também a ser submetido a um tratamento clínico invulgar, em França.

Segundo relata o jornal francês Le Parisien, Michael Schumacher deu entrada esta segunda-feira nos serviços de cirurgia cardiovascular do hospital europeu Georges-Pompidou, em Paris. O campeão de Fórmula 1 estará a ser tratado na unidade hospitalar pelo médico e professor Philippe Menasché, um cirurgião cardíaco de 69 anos que além de ser apresentado como uma “sumidade” na área, é também apontado como “pioneiro em terapias celulares para curar insuficiência cardíaca” — isto é, em métodos clínicos que consistem na injeção de material celular em pacientes.

Embora a informação seja controlada ao máximo pelo círculo familiar e médico de Schumacher, o jornal Le Parisien, citando fontes sob anonimato, revela que o antigo piloto está a ser tratado com “infusões de células estaminais que são distribuídas pelo organismo com o objetivo de originar uma reação anti inflamatória sistémica”, ou seja, “em todo o organismo”. O tratamento deverá começar esta terça-feira de manhã, acrescenta o jornal. Deverá ser breve, já que Schumacher poderá abandonar o hospital parisiense logo no dia seguinte, na quarta-feira.

O heptacampeão de Fórmula 1 já teria feito duas visitas anteriores ao hospital francês na última primavera, tendo passado despercebido. Os cuidados para que as visitas hospitalares de Schumacher sejam discretas são tantos que o antigo piloto dará entrada com nome falso, por exemplo, de acordo com fontes do Le Parisien.

Em 2014, o professor que está atualmente a tratar Schumacher fez o primeiro transplante de células cardíacas embrionárias para um paciente que sofria de insuficiência cardíaca.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)