Na música, há muito que as provas estão dadas. Ana Moura, uma das fadistas mais versáteis do panorama artístico português, assina agora uma coleção de joias, fruto da colaboração com a Portugal Jewels, empresa familiar que se viu desafiada pela própria cantora a abrir-lhe as portas das oficinas de ourivesaria. Foi uma completa estreia para ambas as partes. As cerca de 70 peças chegam agora às lojas, com preços que variam entre os 75 e os 330 euros. Sem poupar na prata e no ouro, inspirada na família, no fado e até em Prince, Ana Moura aventurou-se na pele de designer.

Fala num gosto adquirido através da mãe — “Lembro-me de, ainda em miúda, ir com ela às joalharias e de fazermos transformações em peças que já tínhamos”, partilha com o Observador. Com o passar do tempo, a cantora, que completou 40 anos no último mês, desenvolveu um gosto peculiar. A serpente tornou-se quase uma figura de coleção, enquanto a filigrana e os brincos volumetricamente generosos vieram com o fado. Ana juntou todas essas (e outras) referências na hora de desenhar a coleção. “Desenhei as peças quase todas, mesmo no papel. Depois, fomos adaptando e fazendo experiências. Quis pegar na joalharia tradicional portuguesa e juntar-lhe imagens que tivessem significado para mim. Há já alguns anos que as pombas têm uma simbologia muito especial para mim. E, claro, adoro cobras em joias, sempre usei.

Brincos com serpentes e zircónias verdes

Em prata e, em alguns casos, com banho de ouro de 24 quilates, as peças seguem à risca o gosto e o índice estético da criadora. São fortes e exuberantes, cruzam figuras tão tradicionais como os Corações de Viana e os brincos rainha com elementos contemporâneas, mas nem por isso mais minimais, como serpentes, pombas e dragões. Ana Moura teve carta branca, até na escolha das pedras — o vermelho do rubi e o verde da esmeralda foram selecionados em representação de Portugal, a zircónia ametista remete para a “Purple Rain” de Prince, com quem a cantora partilhou o palco mais do que uma vez.

Do lado da Portugal Jewels a surpresa foi total. A marca criada em 1990 deu o primeiro passo, embora ainda longe de pensar que as conversações pudessem resultar uma edição de autor como esta. “Houve uma interação nas redes sociais. A Ana fez uns likes em publicações nossas, então decidimos falar com ela e propor-lhe que usasse algumas peças em espetáculos”, recorda Alexandre Gomes, CEO da marca, em conversa com o Observador. Depressa a cantora marcou uma posição — usaria as peças se pudesse desenhá-las.

Imagem da campanha Ana Moura x Portugal Jewels

Ao todo, a produção da coleção Ana Moura x Portugal Jewels envolveu dez oficinas de ourivesaria, da construção às cravações. “As peças são bastante fortes”, admite a fadista, ao mesmo tempo que reconhece o risco comercial de lançar uma coleção tão extensa e com um estilo tão vincado. “É arrojada e marcante. Mas a Ana usa sempre peças muito vistosas, tínhamos de ir por aí. Agora, estamos curiosos para perceber se as mulheres portuguesas vão estar recetivas”, completa Joana Gomes, a outra metade da direção da empresa portuguesa.

Em 2017, os dois irmãos assumiram o leme da marca criada pela mãe. Na família, a relação com a joalharia é bem mais longa. Em Gondomar, a oficina fundada pelo avô, em 1955, continua a laborar. É lá que é feita uma parte da produção da Portugal Jewels. Atualmente, a oferta concentra-se na loja online, onde mais de metade das vendas são para fora do país. Além da loja oficial da marca e do site da fadista, onde o lançamento está marcado para esta quarta-feira ao fim da tarde, a colaboração com Ana Moura chega também ao El Corte Inglés (Lisboa e de Vila Nova de Gaia) e à conceituada Leitão & Irmão.

Colar em prata banhada a ouro com pombas e zircónias brancas

Mas a parceria não fica por aqui. Há uma segunda linha, com peças mais simples e preços mais acessíveis, cujo lançamento está previsto mais para o final do ano. Essas irão para a estrada com a cantora — que também terá um novo álbum ainda em 2019 —  e serão vendidas nos espetáculos, dentro e fora do país. “No fim dos concertos, há sempre imensa gente que pede para ficar com o meu xaile. A partir de agora, também vou começar a levar as nossas joias lá para fora”, conclui.

Na fotogaleria, veja as imagens da campanha e as peças da coleção Ana Moura x Portugal Jewels.