A organização do Rali Dakar de todo-o-terreno corrigiu a informação sobre a desistência de Paulo Gonçalves (Hero), recolocando o português em prova na terceira etapa, em Neom, na Arábia Saudita, apesar do enorme atraso devido a avaria.

O piloto de Esposende ficou parado ao quilómetro 30 dos 477 que compunham a especial de terça-feira com o motor da sua mota partido, segundo divulgou a organização no sítio oficial da prova às 06h30 horas, indicando que o piloto luso “decidiu desistir”.

Três horas mais tarde, a Amaury Sport Organization (ASO) corrigiu a informação, indicando que Gonçalves continuava parado a tentar reparar a avaria enquanto esperava pela chegada do camião de assistência da sua equipa.

À partida da etapa de terça-feira, a segunda parte de uma super-maratona em que os pilotos de elite tinham apenas 10 minutos para reparar as suas motas na assistência e sem ajuda externa, Paulo Gonçalves era 14.º classificado, a 13.10 minutos do líder da prova, o britânico Sam Sunderland (KTM).

Esta é a 13.ª participação do piloto português, que em 2015 terminou na segunda posição.