Cerca de 1400 pessoas podem vir a ficar sem carta de condução por terem atingido os 12 pontos — o valor necessário para a sua cassação do modelo de pontos que regula a atribuição da licença para conduzir desde 2016. O número de condutores em risco de perder o documento praticamente triplicou desde o final de 2018, revela o Jornal de Notícias.

“Só agora é que as pessoas estão efetivamente a perder pontos”, disse o presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, José Miguel Trigoso ao JN. Segundo o responsável, o sistema por pontos demorou a surtir efeito devido à “amnistia” do cadastro dos condutores, que se deu à data da sua implementação. Trigoso acredita que a melhoria da eficácia do sistema pode levar a uma “redução da sinistralidade”, que é uma das prioridades do Governo.

A Secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, garantiu à mesma fonte que o Governo está a trabalhar no agravamento das sanções às infrações mais recorrentes e gravosas. “Condução sob o efeito do álcool e com telemóveis são situações que não são aceitáveis porque põem em perigo não só a segurança dos próprios como a dos restantes condutores”. A responsável não adiantou as datas de implementação das novas medidas, que deverão ser apresentadas “oportunamente”.