Todos os jogadores do Vitória de Setúbal estão em casa “de quarentena” com uma virose, segundo o clube, mas o jogo contra o Sporting Clube de Portugal vai mesmo realizar-se este sábado. A decisão foi anunciada após reunião da Liga, com representantes dos dois clubes.

O Sporting propôs-se uma junta médica que avaliasse os atletas — com elementos dos dois clubes e da Liga —, mas o Vitória alegou que a proposta feria a honorabilidade do clube e do seu departamento médico.

Sem acordo à vista, o jogo mantém-se, salvo qualquer mudança de posição de algum dos clubes, que nas suas declarações mostraram-se irredutíveis quanto a mais cedências (no caso do Vitória, permitir a junta médica; no caso do Sporting, permitir o jogo confiando na palavra do departamento médico do adversário).

Sporting queria avaliar estado dos jogadores do Vitória

Um representante do Sporting fez o anúncio, à saída da reunião: “O jogo vai-se manter para amanhã como estava acordado”. O elemento do clube leonino explicou que o Sporting propôs ao adversário, “com espírito de cooperação e boa fé”, montar uma “junta médica” antes do jogo, composta por três especialistas — o diretor clínico do Sporting, um médico nomeado pelo Vitória Futebol Clube e um médico nomeado pela Liga Portuguesa de futebol profissional.

A ideia era os atletas do Setúbal serem avaliados clinicamente pelas diferentes partes envolvidas na partida, para confirmar se a indisponibilidade dos jogadores era suficiente para impedir a realização do jogo. “O Vitória entendeu não aceitar essa nossa proposta e portanto o jogo está agendado para amanhã e vai-se realizar”, disse o representante do Sporting.

O Sporting tem também os seus interesses que tem de salvaguardar, em particular a sobrecarga de jogos que aí vem. Nos termos regulamentares o jogo teria de ser sempre agendado para as próximas seis semanas e optou por propor esta solução ao Vitória Futebol Clube. Se o VFC tivesse 11 jogadores aptos para jogar amanhã [sábado], jogaria. Se não tivesse, poderíamos ponderar essa situação. O Vitória vai ter 11 jogadores, tanto quanto foi percebido na reunião, portanto haverá jogo”, referiu.

Questionado sobre se desconfia das alegações dos representantes do Vitória quanto ao estado dos seus jogadores, o elemento do Sporting recordou que Frederico Varandas, médico e presidente do Sporting, pediu para ter acesso aos dossiês clínicos destes jogadores. Isso não foi permitido”. Agora, foi pedida uma junta médica com elementos dos vários clubes e a nova proposta foi também recusada, lembrou o Sporting, para justificar a intransigência.

Vitória diz que “vai ser um espetáculo deprimente”

O Vitória de Setúbal diz que o jogo vai ser “um espetáculo deprimente que irá envergonhar o nosso futebol”. O presidente do clube, Vítor Hugo Valente, afirmou à saída da reunião que juntou os dois clubes e a Liga que a proposta do Sporting foi “obviamente recusada” porque os sadinos não são “um clube de vão de escada”.

Essa proposta tem um proposto que ofende a nossa honorabilidade. E a honorabilidade é o nosso mérito. Nunca um médico de outro clube irá analisar os nossos jogadores. Não permitimos que desconfiem do que nós dizemos”, referiu o presidente do Vitória

Lembrando que “o Vitória nunca faltou a um jogo que estivesse marcado e não o irá fazer, porque fomos obrigados a isso”, o presidente do clube lamentou que o Sporting queira “jogar com o Vitória nas condições em que os nossos jogadores estão. É um espetáculo deprimente que irá envergonhar o nosso futebol”.

Os sadinos dizem ainda que foram à reunião defender “a integridade física” dos seus jogadores e a “integridade da competição”.

Vitória diz que jogadores estão com “febre, diarreia e vómitos”

Os membros do plantel apresentavam vários sintomas como “febres muito altas, arrepios de frio, dores de cabeça, diarreia e vómitos“, mas, ao contrário do que foi dito inicialmente, não se trata de uma gripe.

O Observador questionou o clube setubalense sobre o tipo de tratamentos a que estão a ser submetidos os jogadores e quanto tempo vão estar sem jogar, mas a mesma fonte referiu que o médico e o departamento clínico do Vitória estavam ainda a avaliar a situação, pelo que não era possível avançar com uma resposta neste momento.

Pedro Proença, presidente da Liga, convidou Frederico Varandas e Vítor Hugo Valente, os líderes dos dois clubes, para uma reunião ainda durante esta sexta-feira. Segundo a Lusa, Proença tem “acompanhado com preocupação” a situação relativa ao jogo de sábado. No entanto, a decisão final foi que o jogo deveria manter-se.

“Não quero fazer uma figura de merda. Se falo é porque é uma situação de saúde”

Na conferência de imprensa desta sexta-feira, treinador do clube setubalense, Júlio Velasquezm, começou por contar o estado dos jogadores. A equipa neste momento fica “morta”, disse. “Não ficamos a condições de nível profissional. Não estamos em posição de fazer desporto. Quero, como sempre, falar com muita sinceridade. É o que aconteceu desde o início até ao dia de hoje”, afirmou.

Depois Velasquez revelou que telefonou por duas vezes ao treinador do Sporting, Silas, e que este compreendeu a situação do V. Setúbal. Contou que o técnico leonino lhe ligou de volta e que discutiram outras datas para a realização do jogo. “Agradeço de coração a Silas, falámos com muito respeito, ele percebeu muito bem a situação”.

De forma clara, o treinador sadino afirmou:  “O que não quero fazer é uma figura de merda” e justificou que se trata de “uma situação de saúde, uma situação real”.

Segundo Velasquez, Silas ter-lhe-á dito que fevereiro era um mês complicado para o Sporting, apesar de lhe ter proposto que o jogo se realizasse na primeira semana do mês, nas datas da Taça de Portugal, competição da qual os dois clubes já estão afastados. Não sendo possível, ambos concordaram com as datas de 3, 4 ou 5 de março ou 10, 11 ou 12 de março. “Para mim é-me igual. Só estou preocupado com a equipa, que são rapazes extraordinários e não têm culpa de nada”.

O problema foi o regulamento da Liga, que obriga a que um jogo adiado se realize nas quatro semanas seguintes. Mas para Velasquez há aqui um caso “execpional e uma situação de carácter” que deveria levar ao adiamento do jogo marcado para este sábado.

Sobre razão da virose dos jogadores Velasquez contou depois os vários detalhes: “Na semana passada, por situações no relvado, tivemos de fazer quatro treinos. (…) Já para o jogo de Famalicão um jogador não ficou a semana toda bem”. “Nessa noite o Silvio e outros jogadores tiveram problemas. Jogámos com 4 jogadores com febre. Nunca falei disso nas conferências de imprensa. Na altura disse que o Famalicão ganhou por ser melhor, e foi essa a razão. Mas havia situações e situações importantes já para se terem em conta “,

Depois continuou, afirmando que no treino seguinte, quarta-feira, já o plantel se tinha reduzido mais: “Começámos o treino com 14 jogadores, mas com guarda-redes de outras equipas [a de sub-23]. Os jogadores começaram a ter sintomas muito difíceis. Depois, na quinta-feira, falei com o Sporting e com a Liga para arranjar um solução. Treinámos só com um jogador, o Carlinhos, que só pôde fazer corrida, e três guarda-redes, dois da equipa sub-23. Os jogadores estavam com febres de 40 e 39”. e

O treinador mostra-se incrédulo com o que se está a passar. “Não acreditava que íamos ficar nesta situação numa liga como esta que ambiciona ser mais”.

Os jogadores que estão de ‘baixa’

Esta quinta-feira, 14 jogadores — os “casos mais graves” — foram observados no Hospital da Luz em Setúbal e foi-lhes dito que tinham uma “virose, que terá começado num dos elementos da equipa” e acabou por se alastrar aos outros jogadores, porque se trata de algo contagioso.

Os jogadores observados ontem no hospital foram: Artur Jorge, Éber Bessa, Brian Mansilla, Ghilas, Nuno Valente, Semedo, Hachadi, Makaridze, Bruno Pirri, André Sousa, Jubal, Berto, Zequinha e Nuno Pinto. Mas antes destes atletas irem ao Hospital da Luz, já outros três — Meira, Sílvio e Carlinhos — se tinham dirigido ao hospital onde receberam tratamento médico. Havia ainda outros três jogadores doentes: Mano, Milton e Leandrinho. E esta manhã os sintomas estenderam-se aos restantes.

Fonte do Vitória de Setúbal adiantou ainda ao Observador que os balneários do clube e o corredor que passa junto aos mesmos foram esterilizados, na tarde quinta-feira.

Devido a esta virose, o Vitória de Setúbal pediu o adiamento do jogo deste sábado contra o Sporting. Pedido que os leões e a Liga de clubes recusaram.

V. Setúbal só tem dois jogadores disponíveis, Sporting recusa adiamento e Liga confirma jogo no sábado

Segundo um comunicado do clube, o Sporting disponibilizou o seu departamento médico para avaliar os jogadores sadinos, mas o Vitória recusou.

“Com esta conduta e ao vir, agora, de forma hipócrita e cínica, disponibilizar o seu departamento médico, o Sporting CP mais confirma um procedimento e forma de estar que consubstancia uma violação grosseira dos princípios da boa fé que se impõem no relacionamento entre clubes, mas também uma violação dos deveres deontológicos entre profissionais da medicina, que, de resto, o Presidente do Sporting CP tão bem conhece”, lê-se no comunicado, disponibilizado das redes sociais do Vitória de Setúbal.

Vitória de Setúbal acusa o Sporting de violar estatutos da Liga de clubes

*Atualizado às 15h42 com a informação de que Pedro Proença convocou os presidentes do Sporting e do V. Setúbal para uma reunião