Morreu esta semana o músico português Eugénio Barreiros, antigo teclista (também cantava) das bandas de pop-rock Mini-Pop e Jafumega, avança a Blitz. Tinha 60 anos.

Eugénio Barreiros começou por se revelar na música nacional através dos Mini-Pop, grupo portuense infanto-juvenil que começou por integrar na sua fundação, em 1969. Tinha então entre dez e 11 anos e da banda faziam parte ainda os seus irmãos Mário (que ficou com o nome do progenitor e que veio a construir uma longa carreira na música e no jazz, quer enquanto instrumentista quer enquanto produtor) e Pedro Barreiros. A formação da banda terá sido pensada pelo pai dos três irmãos, Mário Barreiros.

Morreu Eugénio Barreiros. (notícia tristemente sabida através do Alberto Jorge)

Posted by Victor Valente on Monday, January 13, 2020

O grupo Mini-Pop durou dez anos. Ao longo desse período, a banda atuou, por exemplo, no festival de música de Vilar de Mouros e no Festival da Canção da RTP, tendo ainda gravado canções em língua inglesa como “My Holiday Girl”.

Após os dez anos de duração da banda Mini-Pop, já com 20 a 21 anos, Eugénio Barreiros veio a formar com os irmãos uma nova banda: os Jafumega, que tiveram — como já se esperava, dada a maior maturidade dos seus elementos — um impacto maior no rock e no pop-rock nacional e que tiveram outros membros como José Nogueira, Álvaro Marques e Luís Portugal.

Apesar da pouca longevidade dos Jafumega nos anos 1980, dado que lançaram o primeiro álbum em 1980 e pararam três anos depois, a banda tornou-se conhecida graças a canções como “Ribeira”, “Nó Cego”, “Kasbah” e sobretudo “Latin’América”.

Em 2013 a banda Jafumega regressou ao ativo, voltou a atuar ao vivo e ainda no último verão deu um concerto no festival Sol da Caparica, por exemplo. Na página oficial de Facebook do grupo estava anunciado um concerto dos Jafumega com os Mão Morta de Adolfo Luxúria Canibal para 5 de setembro deste ano, na Feira de São Mateus, em Viseu.