A Volkswagen vai marcar presença na próxima edição do Salão de Genebra, tendo já confirmado que uma das estrelas no seu stand será a versão topo de gama a gasóleo do novo Golf. Significa isto que a oitava geração do compacto alemão se mantém fiel à tradição – foi em 1982 que o construtor alemão apresentou o primeiro Golf GTD –, apesar da crescente pressão antidiesel.

Em reflexo disso, o construtor alemão garante que o compacto vai conciliar economia e performance. De acordo com a Volkswagen, o futuro Golf GTD vai surpreender pelas melhores prestações, até porque o 2.0 TDI passa a usufruir de 200 cv em vez dos anteriores 184 cv, mas faz acompanhar esse argumento de uma atitude mais ecológica.

Segundo a marca, o motor TDI não só se destacará por consumos mais contidos, como por emissões de dióxido de carbono mais reduzidas. Tudo isso sem beliscar, pelo contrário, a capacidade de resposta do novo Golf. Um equilíbrio difícil de atingir sem incluir uma componente de electrificação, mas que a Volkswagen assegura ter alcançado graças ao recurso não a um mas a dois sistemas de redução catalítica selectiva (SCR) com injecção de AdBlue.

Em prévias conversas do Observador com os técnicos da marca, os engenheiros da Volkswagen revelaram que tinham chegado à conclusão que a eficiência deste tipo de solução para reduzir as emissões de óxidos de azoto (NOx) está muito dependente da temperatura. Para facilitar o ciclo de aquecimento, o primeiro SCR passa a estar colocado no sistema de escape mais próximo do motor, para atingir a temperatura ideal (220ºC) mais cedo. Depois, quando excede a sua temperatura ideal de funcionamento (acima dos 350ºC), o que acontece quando se circula a fundo, em subidas pronunciadas ou a puxar um reboque, entra em acção o segundo sistema, que por estar mais longe do motor funciona a uma temperatura inferior (cerca de 100ºC). Com esta “redundância”, as emissões de NOx são minimizadas em cerca de 80%, com o motor a cumprir já os limites da futura norma Euro 6d. A ponto de a Volkswagen garantir que este turbodiesel não só é o motor mais limpo já instalados num Golf, como é mesmo “um dos motores a combustão mais limpos do mundo”.

Recorde-se que a oitava geração do compacto alemão chega a Portugal em Março.